ECONOMIA

Diario econômico

Rochelli Dantas - interina
rochelli.dantas@diariodepernambuco.com.br
diariodepernambuco.com.br

Publicação: 12/10/2017 03:00

Nas mãos do mercado

Completando dois anos de operação, o parque fabril de Itapissuma do Grupo Petrópolis se tornou estratégico. Atualmente, a unidade junto com a de Alagoinhas (BA), responde por 48% da capacidade produtiva e de distribuição do grupo. Na fábrica pernambucana são produzidas as marcas Itaipava e Crystal, carros-chefe da empresa. Hoje, a Itaipava é a terceira cerveja mais consumida no Brasil e a segunda no Nordeste, onde o market share em agosto chegou a 20,5%, enquanto no país foi de 13,7%. É por isso que as duas unidades se tornaram peças fundamentais na estratégia de crescimento do grupo, que inclui a meta de chegar a 2020 atendendo a todo território nacional. É que a cervejaria ainda possui alguns “territórios brancos”, como são chamadas as áreas onde os produtos da marca ainda não chegam. As grandes lacunas estão principalmente nos estados da região Norte do país. E, como as unidades nordestinas ainda possuem espaço para ampliar a produção, é daqui que deve partir o projeto de expansão. Por enquanto, o que se estuda é qual a demanda desse consumidor e como chegar a este mercado sem atrapalhar o crescimento dos demais. Entre as alternativas analisadas estão a ampliação de uma das unidades ou apenas a instalação de um Centro de Distribuição (CD). Esta última opção pode ser considerada a mais viável, afinal, para este ano, a expectativa é que o grupo registre um crescimento entre 3% e 4%. Já o mercado nacional deve chegar a uma alta de apenas 2%. São crescimentos positivos para um ano de crise econômica, mas ainda tímidos para justificar grandes investimentos. Mas, como esses ainda são planos iniciais, tudo depende do comportamento de mercado.

Novos produtos
O Grupo Petrópolis está na fase final de criação de um novo produto. A bebida, que ainda é mantida a sete chaves, deve ser lançada na primeira semana de dezembro e, tudo indica, terá os jovens como público-alvo. Para o próximo ano, outro selo deve sair do forno, neste caso, a tendência é de que seja algo voltado ao mercado Premium, cujo segmento cresce 41,4% ao ano.

Fim do contrato
A falta de contrapartidas no patrocínio da Arena Pernambuco foi o principal motivo para o fim do contrato. Segundo informações da empresa, faltou empenho na captação de eventos que não fossem jogos de futebol, onde bebidas alcoólicas não podem ser vendidas. Por isso, a marca Itaipava só estará na Arena de São Lourenço da Mata em eventos esporádicos. Patrocínio exclusivo só com a comprovação de viabilidade financeira.

Missão comercial
Representantes de 24 países árabes e africanos estarão visitando Pernambuco entre os dias 18 e 20 de outubro. A comitiva integra uma missão comercial organizada pela Câmara de Comércio Árabe-Brasileira, governo de Pernambuco e pelo Itamaraty. Além de rodadas de negócios, a agenda é composta por visitas ao Complexo Industrial Portuário de Suape, além do Porto Digital e do C.E.S.A.R.

Nova estratégia
A MRV Engenharia vem registrando cerca de 100 unidades comercializadas por mês, batendo o faturamento médio de R$ 15 milhões. Como estratégia de aumentar as vendas, a empresa lançou uma nova campanha de incentivo à migração de aluguel para moradia própria. Na iniciativa, há opção de parcelamento em até 60 vezes e entrada em imóveis prontos, além de possibilidade de ITBI e registros grátis.

Ampliação de rede
A Oi ampliou a tecnologia 4G em Pernambuco e passou a cobrir as cidades de Aliança e Vicência. Com isso, a companhia passa a atender 14 municípios com a tecnologia de quarta geração. Apenas no primeiro semestre, a empresa investiu R$ 55,7 milhões no estado destinado a expansão de rede.

Pós em saúde
O Instituto de Desenvolvimento Educacional (IDE) está completando onze anos de atuação no Nordeste e começa a expandir os negócios para a região Norte do país. O Pará ganhou uma unidade recentemente. A instituição tem sede no Recife e filiais em oito estados. Ao todo são 120 cursos de especializações em medicina, enfermagem, fisioterapia, fonoaudiologia, nutrição, educação física, farmácia e psicologia.