ECONOMIA

IPCA tem a menor alta anual desde 1998 A inflação oficial no país teve alta de 0,44%, mas ficou abaixo do piso estabelecido pelo governo

Publicação: 11/01/2018 03:00

A inflação oficial no país pisou no acelerador em dezembro, dando fim a uma sequência de meses de boas surpresas, mas a alta de 0,44% foi suficiente para garantir a menor alta anual desde 1998, informou ontem o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Com aumento de 2,95%, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) ficou abaixo do piso da meta do governo. Isso obrigou o presidente do Banco Central (BC), Ilan Goldfajn, a se explicar em carta aberta ao ministro da Fazenda, Henrique Meirelles.

“Dez itens responderam por 87% do IPCA de 2017. Esses mesmos itens tinham respondido por 32% do IPCA no ano anterior. Apenas três deles não são itens monitorados (pelo governo)”, disse Fernando Gonçalves, gerente na Coordenação de Índices de Preços do IBGE.

A alta de 13,53% nos planos de saúde exerceu a maior pressão sobre o orçamento das famílias em 2017, devido aos reajustes concedidos pela Agência Nacional de Saúde (ANS). A segunda maior pressão foi da gasolina, 10,32% mais cara, por causa da nova política de preços da Petrobras, que repassa às refinarias as oscilações do dólar e das cotações internacionais do petróleo. Pelo mesmo motivo, o gás de botijão subiu 16%. Outro preço monitorado, o da eletricidade, subiu 10,35% no ano passado, impulsionado pela cobrança extra pelo acionamento das usinas térmicas, cuja energia é mais cara. A alta seria ainda maior não fosse o desconto de até 19,50% aplicado sobre as contas de luz em abril, por decisão da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), para compensar os consumidores pela cobrança indevida para remunerar a usina de Angra 3.

Comemoração
Em mais uma comemoração do resultado baixo da inflação, o presidente Michel Temer participou do programa Voz do Brasil quando destacou que “os números comprovam” que “o Brasil saiu da pior recessão da história” e que seu governo conseguiu “dar a volta por cima”. O presidente Temer, no entanto, não deixou de dar uma estocada nos governos anteriores, ao dizer que quando assumiu o Planalto, encontrou o país “em grave crise” e “o diagnóstico era claríssimo: a crise tinha sobretudo natureza fiscal”. Em seguida, vangloriou-se que, mesmo com “pouco mais de um ano e meio de governo”, “conseguimos dar a volta por cima” e “o Brasil voltou a crescer e certamente teremos um 2018 ainda melhor”.

Depois de exaltar o resultado do IPCA de 2017 em reunião com economistas, Temer divulgou um vídeo nas redes sociais para tentar aproveitar o dado e criar uma onde positiva. Em discurso de abertura de uma reunião com a equipe econômica, o presidente exaltou o resultado da inflação e disse que o fato “extraordinário” é fruto do trabalho de seu governo. (AE)