ECONOMIA

BOTIJãO DE GáS » Governo avalia compensação para aumento

Publicação: 10/02/2018 03:00

O presidente Michel Temer afirmou nessa sexta-feira que estuda uma maneira de compensar o aumento do preço dos botijões de gás para a população mais pobre. Em entrevista à Rádio Guaíba, do Rio Grande do Sul, ele afirmou que um anúncio será feito nos próximos dias, mas não deu mais detalhes sobre a iniciativa. No ano passado, o preço do botijão teve a maior alta desde 2002. O preço médio em dezembro chegou a R$ 66,53, alta de 16,39% em relação ao mesmo mês do ano anterior.

O emedebista ressaltou que é necessário fazer algo, uma vez que as famílias mais carentes são as mais afetadas pelo encarecimento do botijão. O presidente reafirmou ainda que pedirá ao Cade e à Polícia Federal para investigarem por que o corte no preço da gasolina não está chegando nas bombas dos postos de gasolina. Ele chamou de “agressão ao consumidor” os valores que estão sendo repassados ao consumidor final em todo o país.

Na quinta-feira, o ministro da Secretaria-Geral, Moreira Franco, anunciou que será deflagrada uma operação para apurar se postos e distribuidores tem atuado em esquema de cartel. A Petrobras anunciou um corte de 3% no preço da gasolina o maior desde o dia 17 de novembro. O valor do diesel também será reduzido, em 2,6%, a maior queda desde 02 de dezembro.

Moreira Franco, disse que o governo procurou o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) para pedir que o órgão antitruste investigue a suposta cartelização da cadeia de venda de combustíveis, incluindo postos e distribuidoras. Com fortes indícios de manipulação de preços para o consumidor final, o governo colocou tanto o Cade quanto a Polícia Federal para investigar as empresas do setor. A decisão vem depois de investigações feitas pelo próprio Cade mostrarem que esse é realmente um problema grave: desde 2012, de 17 casos já julgados, 12 resultaram em condenação por formação de cartel. E há ainda oito processos em andamento. (AE)