MUNDO

Visando a 'paz duradoura'

Publicação: 07/12/2017 03:00

O presidente norte-americano disse que a decisão ressalta “o firme compromisso de facilitar uma paz duradoura”. “Os Estados Unidos apoiariam uma solução de dois Estados caso ambas as partes cheguem a um acordo”, afirmou, anunciando também a viagem do vice-presidente Mike Pence à região nos próximos dias.

Em seu discurso, Trump esclareceu que os Estados Unidos não estão se pronunciando sobre qualquer “problema de status final, incluídos os limites específicos da soberania israelense em Jerusalém, ou a resolução das fronteiras impugnadas”. “Essas questões dependem das partes envolvidas”, disse.

CONFLITO
Israel se apoderou do setor oriental de Jerusalém, em sua maioria árabe, durante a Guerra dos Seis Dias de 1967 e mais tarde o anexou, reivindicando os dois lados da cidade como sua capital. Já os palestinos querem que o setor oriental seja a capital do futuro Estado que aspiram.

Trump alega que decidiu sobre a mudança da embaixada norte-americana em cumprimento de uma lei de 1995, que estabeleceu que a cidade “deveria ser reconhecida como a capital do Estado de Israel” e que a embaixada dos Estados Unidos deveria ser trasladada para lá.

Nas últimas décadas, sucessivos presidentes norte-americanos adiaram a cada seis meses a mudança por motivos de “segurança nacional”, motivo pelo qual a lei até agora ainda não havia entrado em vigor. (AFP)