MUNDO

PAPA » No Chile, um foco de resistência

Publicação: 13/01/2018 03:00

O Chile, onde o papa Francisco chegará na próxima segunda-feira, é o país da América Latina em que o pontífice e a Igreja Católica têm a pior avaliação em consequência da onda de escândalos de abusos sexuais a menores, segundo um estudo revelado em Santiago nesta sexta-feira. O relatório da consultora Latinobarómetro mostrou que em uma escala de zero a 10, os chilenos avaliam o papa Francisco com 5,3, enquanto a média da América Latina alcança 6,8. O Paraguai é o país que melhor o avalia (8,3), seguido por Brasil (8,0) e Equador (7,5). No Peru, onde o papa chegará na quinta-feira, a avaliação de Francisco alcança 6,9, ocupando o sétimo lugar da região. A avaliação do papa Francisco na América Latina caiu de 7,2 para 6,8 pontos percentuais entre 2013 e 2017. O Chile é o país onde a confiança na Igreja Católica mais caiu desde 2015 – de 44% para 36% –, enquanto 38% dos perguntados se consideraram “ateus ou agnósticos”, convertendo este país em um dos mais seculares da América Latina.