Recife e suas mazelas

Albino Queiroz
Advogado

Publicação: 14/03/2018 03:00

1 – Definitivamente acabaram com o trânsito do Recife. Isso é fácil de ser constatado, pois a toda hora e em todos os lugares da cidade os engarrafamentos se multiplicam. Sempre tivemos pessoas capacitadas dirigindo os órgãos de trânsito da nossa cidade. Pessoas graduadas em engenharia de tráfego e com curso de especialização no assunto, porém hoje são indicadas pessoas que no meu ver não têm a menor condição de controlar o trânsito numa cidade tão problemática. Criam as famosas faixas de circulação de ônibus, que existem em várias capitais, em ruas que não têm a menor capacidade de comportar essa mudança. São ruas que foram construídas para carroças e que hoje já vivem congestionadas pelos carros que nelas circulam. Sou a favor da mobilidade do usuário de ônibus, mas também sou a favor do usuário do carro que paga elevados impostos para ter o seu meio de condução. Existem as ruas paralelas que poderiam ser utilizadas pelos veículos, bastando somente que tivessem guardas de trânsito orientando os motoristas e não esses ‘coisas nenhuma’ que a prefeitura coloca durante o dia, pagando uma fortuna. Se você envolvido num engarrafamento, colocar no aplicativo Waze, vai ver como é fácil sair pelas ruas laterais. Só as pessoas que controlam o trânsito do Recife não enxergam isso.

2 – Como se come pipoca no Recife! Acho que não existe nenhuma outra capital no mundo que se coma tanta pipoca. O trabalhador come um saco de pipoca e toma um pouco de água e aquilo incha no estômago, dando uma sensação de saciedade. Logo vão tornar a pipoca um símbolo do Recife. E tudo isso, essa farra de mascates nos sinais, com o beneplácito dos órgãos públicos, que ainda lhes fornece camisas e crachás. É o famoso proselitismo politico. 3 – Quando vão fazer uma campanha de orientação a esses malucos que se denominam motoqueiros que empestam as ruas do Recife? São uns irresponsáveis que atentam contra a sua vida e contra a vida das pessoas. Dirigem sem calçados e utilizam o retrovisor da moto como porta chinelos. Quando batem nos carros vêm choramingando dizendo que é um pobre coitado e não tem como pagar o dano. Passam na frente dos guardas de trânsito e eles nada fazem, pois até as motos oficiais são pilotadas desta forma. E os hospitais ficam congestionados com a enorme quantidade de acidentados que custam uma fortuna ao poder público com próteses que são colocadas.