POLÍTICA

Michel Temer volta atrás e decide cortar dez ministérios Peemedebista vinha relutando em diminuir o tamanho da Esplanada caso assuma presidência nestes próximos dias

Publicação: 10/05/2016 03:00

Vice-presidente fez uma reorganização das pastas e agora vai fechar os nomes (VALTER CAMPANATO/AGÊNCIA BRASIL)
Vice-presidente fez uma reorganização das pastas e agora vai fechar os nomes
Confiante de que a decisão de anular a sessão do processo de impeachment na Câmara não tem amparo legal, o vice-presidente Michel Temer (PMDB) acertou com sua equipe ontem o novo desenho da Esplanada dos Ministérios, que passará a ter pelo menos dez ministros a menos caso o peemedebista tome posse na Presidência da República.

Temer decidiu que irá reduzir de 32 para 22 o números de ministros em sua futura equipe. Na nova conta, entrou também a decisão de fundir a Secretaria de Direitos Humanos com o Ministério da Justiça, que passará a ser chamado de Ministério da Justiça e Cidadania, ou seja, Temer voltou a seu plano original.

Entre as novidades do novo desenho da Esplanada está a decisão de
desmembrar o Ministério do Trabalho e Previdência Social. A primeira área segue como ministério. A segunda será incorporada pelo Ministério da Fazenda, que ficará responsável por elaborar a reforma previdenciária.

Temer decidiu também fundir os ministérios das Comunicações com Ciência e Tecnologia e do Desenvolvimento Social com Desenvolvimento Agrário. O peemedebista resolveu também voltar ao planejamento original de fundir as secretarias com status ministerial de Portos e Aviação Civil com o Ministério dos Transportes. O Ministério da Educação volta para sua configuração original e vai incorporar o Ministério da Cultura. Perdem ainda status de ministério a AGU (Advocacia-Geral da União), Banco Central, Secretaria de Comunicação Social e Chefia de Gabinete da Presidência da República.

Dentro desta nova configuração, que assessores acreditam ser a definitiva, o vice-presidente vai fechar as negociações com os partidos aliados para escolha de sua futura equipe.

INVASÃO
O MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) diz ter encontrado na fazenda invadida pelo grupo ontem, em Duartina (SP), uma correspondência endereçada a Temer. Os sem-terra afirmam que a fazenda Esmeralda, de 1,5 mil hectares, tem ligações com o peemedebista. O vice-presidente nega. Há no local, mil famílias, segundo o movimento.

De acordo com o MST, a correspondência é mais um elo de Temer com a propriedade rural. Para os sem-terra, a fazenda está em nome do coronel João Batista Lima Filho - conhecido como coronel Lima -, mas o vice-presidente circula pelo local e é o verdadeiro dono do lugar.

A correspondência foi mostrada pelo MST à reportagem ontem. Trata-se de um envelope tamanho ofício, com timbre da prefeitura local. Nela está escrito a caneta para quem é endereçada: ao “Dr Michel Temer”. Há ainda a inscrição Enio (prefeito) - Duartina é comanda pelo prefeito Enio Simão (PSDB). (Da redação com a Folhapress)