POLÍTICA

PSB: reunião de emergência amanhã

Rosália Rangel
rosalia.rangel@diariodepernambuco.com.br

Publicação: 19/05/2017 03:00

No núcleo socialista, as denúncias contra o presidente Michel Temer (PMDB)  repercutiram em várias frentes do partido. Além da nota do presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, pedindo a saída de Fernando Filho (Minas e Energia), a executiva nacional também convocou uma reunião “emergencial” para o próximo sábado, às 10h, em Brasília, e engrossou as fileiras de partidos que encaminharam à Câmara pedidos de impeachment de Temer.
No Recife, o governador Paulo Câmara (PSB) gravou um vídeo de um minuto e três segundos afirmando que o Brasil volta a “enfrentar dificuldades políticas”. Ele cobrou isenção nas investigações. “As denúncias contra o presidente Michel Temer são graves e precisam ser investigadas a fundo com isenção e responsabilidade. O presidente necessita dar explicação à Nação”, alertou.
Paulo salientou, ainda, que um país “da dimensão e importância do Brasil” não pode pegar atalhos para preservar a democracia. Ele também reafirmou seu compromisso “na defesa do diálogo” que, na avaliação dele, é o melhor caminho para superar a atual crise. O governador, que é vice-presidente nacional do PSB, estará sábado na reunião do partido.
Já o prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), frisou que a melhor saída para o país seria a renúncia de Temer. “Esse governo perdeu as condições políticas e de governabilidade. Me parece que a decisão que melhor ajudaria o país, nesse momento, era se o presidente tivesse tido a serenidade e a tranquilidade de optar pela renúncia”, salientou o prefeito.