POLÍTICA

WESLEY BATISTA » O crime de 'ser colaborador'

Publicação: 14/09/2017 03:00

O sócio e presidente global da JBS, Wesley Batista, foi preso ontem em São Paulo. O pedido de prisão é preventiva -sem data para sair- e foi expedido pelo juiz João Batista Gonçalves, da 6ª Vara Criminal Federal de São Paulo. Também houve pedido de prisão preventiva contra Joesley, que está detido desde segunda em Brasília. Nesse caso, os irmãos Batista são acusados de se beneficiar com a compra de dólares e com a venda de ações da JBS, aproveitando-se do impacto no mercado de seu acordo de delação premiada. Se não houver pedido de prorrogação de temporária ou reversão para preventiva da prisão de Joesley no Distrito Federal, o empresário deve ser transferido para São Paulo, onde cumprirá esse segundo mandado de prisão. Em audiência na após ser preso, Wesley reclamou de sua detenção. “Começo a achar que o crime foi ter assinado um acordo de delação com a Procuradoria-Geral da República. Pergunto se o crime que cometi foi ter me tornado colaborador”.