POLÍTICA

Já o dinheiro para o Bolsa Família...

Publicação: 07/12/2017 03:00

O relator da reforma da Previdência, Arthur Maia (PPS-BA), afirmou que o programa Bolsa Família não poderá ser pago sem a aprovação da reforma da Previdência. Em entrevista à TV Brasília, o relator previu que haverá aumento de tributos e queda para zero dos investimentos públicos.

O relator já contabiliza entre 290 a 310 votos a favor da reforma. Mas admitiu que o tempo “milita” contra a aprovação da reforma. Ele admitiu que não há segurança ainda da aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC). “É muito difícil ter segurança absoluta de aprovação de um tema que trata de reforma constitucional. É um quórum elevado”, afirmou.

Arthur Maia classificou de estelionato eleitoral a proposta de parlamentares de deixar a votação para depois das eleições de 2018. “É muita falsidade ideológica eleitoral. Se sou deputado, o que eu penso antes da eleições eu tenho que falar”, cobrou. Ele voltou a afirmar que cabe ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia, definir a data de votação da PEC. “Não há dúvida que existem deputados com interface da eleição”, disse.

REDES SOCIAIS
Com dificuldades de reunir apoio na base aliada, o presidente Michel Temer começou uma ofensiva nas redes sociais para tentar pressionar deputados governistas a votarem a favor da reforma da Previdência. A equipe de comunicação do peemedebista irá veicular nove propagandas, as quais a reportagem teve acesso, com uma convocação aos deputados aliados: “Parlamentar, o Brasil precisa de você”.

As propagandas também ressaltam que os parlamentares governistas devem votar pela proposta para salvar a “aposentadoria de todos”.

A ideia do Palácio do Planalto é fazer com que grupos e entidades favoráveis às mudanças nas aposentadorias cobrem publicamente deputados indecisos ou resistentes à proposta governista. (Da redação com agências)