POLÍTICA

Em sintonia com a pauta da sociedade Novo presidente do TCE, Marcos Loreto enfatizou no seu discurso de posse que vai dedicar sua gestão a reforçar o combate à corrupção

Cláudia Eloí
claudia.eloi@diariodepernambuco.com.br

Publicação: 11/01/2018 03:00

O espaço ficou pequeno para a solenidade de posse do novo presidente do Tribunal de Contas de Pernambuco (TCE), conselheiro Marcos Loreto, para o biênio (2018-2019) e dos demais integrantes da mesa diretora. Loreto foi empossado ontem junto com o vice-presidente, Dirceu Rodolfo, o corregedor-geral, João Henrique Campos, o diretor da Escola de Contas Públicas, Ranilson Ramos, e a ouvidora Teresa Dueire. O ex-presidente da Corte, Carlos Porto, assumiu a 1ª Câmara e o conselheiro Valdecir Pascoal, a 2ª Câmara. Realizado no auditório do TCE, o evento contou com a presença de diversos políticos, empresários, magistrados, amigos e familiares dos integrantes da nova mesa. Muitos convidados tiveram que assistir à cerimônia em pé. O presidente e o vice do Diario de Pernambuco, respectivamente, Alexandre Rands e Lauro Gusmão, prestigiaram o ato.

Para representar a força do homem nordestino e o papel fiscalizador do TCE em busca da melhor aplicação dos recursos públicos, o cantor Josildo Sá participou da cerimônia usando um gibão. Foi com o traje de gala comum aos sertanejos que Josildo cantou o Hino Nacional, sendo acompanhado pelo sanfoneiro Beto Hortis.

No seu discurso de posse, Marco Loreto afirmou que o cantor, com aquela indumentária, estava ali como representante do cidadão, para o qual o tribunal tem o dever de trabalhar para garantir que as famílias, muitas delas sem direito ainda à água potável e acesso à internet sejam beneficiadas pelas verbas públicas auditadas TCE. “Josildo, você hoje, com seu gibão, representou esse cidadão nessa solenidade. Obrigado por sua mensagem, não vou esquecer”, afirmou Loreto.

O combate à corrupção ganhou ênfase no discurso de Loreto ao afirmar que a sociedade exige dos órgãos de controle um combate rigoroso dos desvios de recursos. Segundo o novo presidente, o TCE tem expertise no assunto. “A pretexto de se combater a corrupção não se pode perder a memória sobre o esforço com o qual a sociedade brasileira conseguiu construir a democracia, legado de valor inestimável. Vamos priorizar as auditorias de acompanhamento, que escolta obras públicas desde a publicação de editais de licitação, sem esperar a possibilidade de dano ao erário”.

No discurso de despedida como presidente do TCE, Carlos Porto afirmou que procurou dar o melhor de si à frente da instituição e o trabalho coletivo proporciona um melhor resultado. “A força da união transforma as pessoas”.

Coube ao vice-presidente, Dirceu Rodolfo, fazer o discurso de boas-vindas. Ele contou que o colega sempre externou sua preocupação em relação ao combate à corrupção. “Nunca aceitou o fato de uma instituição que fiscaliza a correta aplicação do dinheiro, bens e valores públicos ficar apática diante de um fenômeno que constitui um dos grandes sumidouros dos recursos públicos e tem relação de causa e efeito com a inefetividade de políticas públicas inadiáveis”.

Presentes
Várias autoridades do estado participaram da solenidade de posse, entre elas o presidente do Tribunal de Justiça de Pernambuco, Leopoldo Raposo. A lista de políticos presentes foi extensa: o governador Paulo Câmara (PSB) e o vice Raul Henry (MDB); o prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB); o senador Fernando Bezerra Coelho (PMDB); e o presidente da Assembleia Legislativa, Guilherme Uchoa (PDT). Também compareceram a esposa do ex-governador Eduardo Campos, Renata Campos, e o filho, João Campos, que será candidato a deputado federal.