POLÍTICA

Diario político

por Marisa Gibson
marisa.gibson@diariodepernambuco.com.br

Publicação: 11/01/2018 09:00

Poder e poder

A posse de Marcos Loreto na presidência do Tribunal de Contas do Estado foi uma das solenidades mais concorridas do tribunal. E não era pra menos. Loreto tem a marca da cordialidade e a sua presença no comando da corte, desta vez, representa também um degrau a mais de poder para o PSB, partido que comanda o governo do estado e a Prefeitura do Recife com dois técnicos oriundos do tribunal – Paulo Câmara e Geraldo Julio. Além disso, o estado vive um momento de tensão política, envolvendo o governador, o senador Fernando Bezerra Coelho (PMDB) e o vice-governador Raul Henry (PMDB), e a presença dos três na solenidade era motivo suficiente pra ir lá ver para crer. Bem, Loreto foi indicado para o TCE por Eduardo no início do primeiro mandato, e chegou à presidência do colegiado, pela segunda vez, pela tradicional regra de rodízio. No desempenho de suas funções, ele e os demais conselheiros são apartidários. As decisões são técnicas. Porém, pelo desenho político-institucional vigente, cortes como o Supremo Tribunal Federal, Superior Tribunal de Justiça, Tribunal Superior Eleitoral e Tribunal de Contas da União, assim como seus correspondentes nos estados, são peças chaves dentro do sistema. Assim, a composição desses tribunais tem sempre uma conotação política bem acentuada. Por fim, o que ocorre hoje com o PSB já aconteceu com outros partidos em governos anteriores.

Foi aquele climão
O cerimonial anunciou mas o governador Paulo Câmara (PSB) não apareceu para compor a mesa durante a posse do novo presidente do TCE, Marcos Loreto. Foi aquele silêncio e a plateia inquieta olhando para os lados: cadê o governador? Só na segunda chamada é que Paulo Câmara deu o ar da graça.

A Justiça é cega 
Leopoldo Raposo, presidente do Tribunal de Justiça de Pernambuco, foi estrategicamente colocado na composição da mesa entre o vice Raul Henry (PMDB) e o senador Fernando Bezerra Coelho (PMDB). Os dois peemedebistas não se falam por conta da disputa pelo comando do partido no estado.

O bicho vai pegar
Pelo menos um secretário do governo do estado pediu amparo a um jornalista para virar as costas e não cumprimentar o senador Fernando Bezerra Coelho, ao término da solenidade no TCE.

Só se tiver suco
Conversando com o prefeito de Olinda, Professor Lupércio (SD), noTCE, Sileno Guedes, presidente estadual do PSB, lembrou que nos tempos de Renildo Calheiros (PCdoB) ele era recebido com”suco de cajá”. Lupércio prometeu providenciar uma jarra do suco para o encontro entre os dois, nos próximos dias.

Até tu?
Integrantes do PSB que trabalham para que o partido  tenha candidato próprio na sucessão presidencial, como o deputado federal Tadeu Alencar, defendem a candidatura do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), para presidente da República.

Roda mundo
Socialistas que até pouco tempo tripudiavam com derrota de Armando Monteiro Neto (PTB) para Paulo Câmara (PSB) em 2014 estão elogiando o senador petebista que, “ao contrário de Fernando Bezerra Coelho, tem muito mais densidade político-eleitoral”.

Em tempo
Prefeito de Santa Cruz do Capibaribe, Edson Vieira (PSDB) chegou a ensaiar sua candidatura a deputado federal, mas desistiu. Está difícil arranjar votos.

Ecumênico
Como voto não tem religião, o prefeito de Jaboatão, Anderson Ferreira (PR),que é evangélico, levou o padre Damião Silva – frei Damião – para a cerimônia do Dia de Ação de Graças, no primeiro dia do ano, cuja data  foi aprovada pela Câmara Municipal em 2017.

Ameaçando
Romero Albuquerque, líder do PP na Câmara de Municipal do Recife, avisa que vai para a oposição “até o final do mês” e que fará o possível para que o seu partido “não apoie o atual governador em sua reeleição”. Motivo: desentendimentos com Sileno Guedes, secretário de Governo do Recife, envolvendo a titularidade da Secretaria de Direito dos Animais.