POLÍTICA

Só impeachment gerou mais debate Análise da Fundação Getulio Vargas detectou que, no Twitter, o assunto do julgamento de Lula foi o tema de 1,2 milhão de pessoas na rede social

Publicação: 26/01/2018 03:00

O balanço final do impacto do julgamento do recurso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no TRF-4 no Twitter indica que o assunto foi tema de cerca de 1,2 milhão de postagens, no Brasil, entre a zero hora e a meia-noite de quarta-feira. Os dados foram coletados pela Diretoria de Análise de Políticas Públicas (Dapp) da Fundação Getulio Vargas.

Segundo a FGV-Dapp, o evento foi o que mais provocou debate entre os usuários brasileiros da rede social desde a abertura do processo de impeachment de Dilma Rousseff, em abril de 2016, assunto que gerou 1,5 milhão de menções em 24 horas.

O volume de interações na quarta-feira foi tão grande que até os bots ficaram em segundo plano, limitando-se a cerca de 5%, tanto entre os usuários favoráveis a Lula quanto entre os que comemoraram a confirmação de sua condenação. Os bots são perfis automatizados, programados para difundir informações como se fossem pessoas.

Entre os que fizeram menção ao julgamento, o campo pró-Lula foi o que publicou o maior número de postagens (44,1%). Os opositores do ex-presidente foram responsáveis por 35,4%, e outros 15,3% foram publicados por perfis que não se alinharam a nenhum dos dois blocos. Houve ainda cerca de 5% de postagens de teor indefinido, sem interação com outros perfis.

Parte significativa das publicações (12,3 mil) fez alusão à alta da Bolsa de Valores e ao otimismo do mercado financeiro com o resultado do julgamento.

O pico da movimentação no Twitter se deu entre as 17h e as 19h (ambas de Brasília), com a repercussão da ratificação da condenação de Lula e a determinação de aumento de sua pena de prisão. Nesse horário, segundo a FGV-Dapp, “a imprensa tradicional se projetou como fonte central de impacto”, superando as comemorações e as críticas em torno da decisão do TRF-4.

A distribuição regional das postagens mostra que, em termos proporcionais, o julgamento foi mais mencionado no Nordeste, principalmente no Rio Grande do Norte, Bahia e Ceará.

O impacto do julgamento no Facebook também foi medido pela FGV-Dapp. A análise detectou cerca de 2 milhões de interações na página de Lula, desempenho que o fez superar o engajamento em relação ao deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ), presidenciável que costuma ter presença mais forte na rede social. (Da Agência Estado)