POLÍTICA

Triplex é vendido por R$ 2,2 milhões Empresário que comprou o imóvel disse que, além de uma vista privilegiada, o apartamento "tem uma história por trás dele"

Publicação: 16/05/2018 03:00

O empresário Fernando Costa Gontijo, de 64 anos, é o novo dono de um dos imóveis mais comentados do país: o triplex 164-A, no condomínio Solaris, no Guarujá (SP). O apartamento foi o pivô da condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na Lava-Jato. Ele foi arrematado ontem pelo valor mínimo estipulado no edital, de R$ 2,2 milhões. Gontijo tem três dias para fazer o pagamento e oficializar o negócio. “O triplex tem mais de 200 metros quadrados, uma vista privilegiada e, por trás dele, existe uma história. É uma aposta, mas acredito que pode ser um bom negócio”, disse Gontijo à reportagem.

Gontijo atua no mercado imobiliário há mais de 30 anos, diz nunca ter votado em Lula e se classifica como apolítico. Ele criou a empresa Guarujá Participações especificamente para comprar o imóvel. Em sua carreira de executivo, consta uma passagem pela companhia Via Engenharia - investigada no chamado mensalão do Distrito Federal (escândalo que veio à tona em 2009 e envolveu o ex-governador José Roberto Arruda).

O lance pelo apartamento foi dado faltando cinco minutos para o fim da primeira fase do leilão virtual, quando a página registrava 54.900 visitantes.

Para o leiloeiro responsável, Afonso Marangoni, a compra do imóvel já na primeira rodada foi surpreendente. “Imaginava que ele sairia apenas naquilo que chamamos de segunda praça (segunda rodada de venda), quando o preço cairia para 80% do valor estipulado. Nesse caso, R$ 440 mil a menos do que foi gasto para arrematá-lo”, afirmou Marangoni.

Um lance pelo imóvel já havia sido dado anteriormente, por volta das 21h de segunda-feira, por um interessado de Piracicaba, no interior de São Paulo. “O próprio interessado solicitou a retirada do lance. Ele, na verdade, tinha dado um lance que não correspondia ao mínimo possível nessa fase do leilão. O cancelamento foi feito por ordem judicial, que é a única forma de se cancelar uma oferta já dada”, disse Marangoni.

Em agosto do ano passado, na sentença em que Moro condenou Lula, o imóvel havia sido avaliado em R$ 2,4 milhões. Portanto, ele já teria sofrido uma depreciação de R$ 200 mil no leilão de ontem. Apesar disso, corretores afirmam que o preço final ficou acima do praticado hoje pelo mercado. (AE)
 
Defesa de Lula sofre novo revés no STJ
 
O ministro Felix Fischer, relator da Lava-Jato no Superior Tribunal de Justiça (STJ), rejeitou por uma questão processual um habeas corpus do ex-presidente Lula, que já havia recebido uma decisão negativa em 6 de abril, em caráter liminar, um dia antes da prisão do petista. O caminho processual era que o habeas corpus fosse julgado no mérito pela Quinta Turma do STJ, mas Fischer entendeu que o pedido da defesa do ex-presidente está prejudicado. Agora, o processo só deve ser levado à turma se a defesa do petista entrar com um recurso (agravo de instrumento), questionando a decisão do relator.

Quando a liminar da ação foi julgada, o pedido ainda era “preventivo”, já que a prisão de Lula ainda não tinha sido efetivada. O ex-presidente está preso na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba desde o dia 7 de abril, condenado pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro pelo triplex no Guarujá.

No habeas corpus preventivo do petista os advogados pediam que fosse concedida liminar para suspender execução provisória da pena até que o julgamento de mérito do habeas corpus fosse realizado. Ao negar a liminar, em abril, Fischer apontou que estava faltando documentação para comprovar que ainda não havia sido concluído o prazo para a apresentação de um novo recurso no Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4).

Felix Fischer foi o relator original do primeiro pedido preventivo de liberdade de Lula feito ao STJ ao final de janeiro. Mas, em função do recesso, a decisão que negou aquele habeas corpus liminarmente foi do vice-presidente do tribunal, Humberto Martins. Fischer relatou o processo de Lula quando a Quinta Turma do STJ precisou enfrentar o mérito do pedido do ex-presidente. Lá, em 6 de março, os cinco ministros da turma negaram, unanimemente, o habeas corpus do ex-presidente.

Na última quarta-feira, logo depois de a Segunda Turma do STF formar maioria contra o recurso de Lula, o ex-ministro Sepúlveda Pertence, advogado de defesa de petista, destacou a análise dos recursos especial e extraordinário. “Vamos continuar a luta agora nos recursos especial e extraordinário, que permitirão ao Supremo um exame mais concreto e substancioso do processo”, comentou Sepúlveda à reportagem. (AE)  
 
Pesquisa deixa petistas ainda mais confiantes
 
Embalados pelo desempenho na pesquisa CNT/MDA divulgada na segunda-feira, petistas reforçaram ontem o discurso pela manutenção da candidatura do ex-presidente Lula ao Palácio do Planalto. Mesmo preso há mais de um mês na sede da Polícia Federal em Curitiba, Lula aparece na dianteira no levantamento, com 32,4% das intenções de voto. “Vão impedir um cara que tem apoio de um terço da população e ganha em todos os segundos turnos? Não somos nós que vamos impedir que ele seja candidato, vai gerar um problema gigante, vai deslegitimar a eleição”, afirmou o deputado federal Carlos Zarattini (PT-SP).

Também embalado pela pesquisa, o deputado Paulo Teixeira (PSB-SP) reforçou o aceno do partido ao PSB.”Nós temos uma relação de muita proximidade com eles, sou favorável a aprofundarmos isso”, afirmou. “O PT vai apresentar a chapa completa no dia 15 de agosto, com candidato a presidente e a vice. Não há outro plano, nem discussão”, reforçou o vice-presidente da Secretaria Nacional de Comunicação, Alberto Cantalice. (Agência Estado)