POLÍTICA

Um acordo: Minas por Pernambuco Participação de governador mineiro, Fernando Pimentel, em reunião de gestores do Nordeste é mais um passo na aliança entre PSB e PT

Cláudia Eloi
claudia.eloi@diariodepernambuco.com.br

Publicação: 16/05/2018 03:00

A vinda do governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), a Pernambuco para participar, nesta sexta-feira, do encontro dos governadores do Nordeste está sendo interpretada como um gesto político que caminha a passos largos para um potencial acordo entre PT/PSB nos dois estados. Se dessa vez a reunião com o petista foi articulada pelo governador Paulo Câmara (PSB), o próximo encontro já está agendado para ocorrer em Minas Gerais, daqui a dez dias, tendo como anfitrião Pimentel.

Oficialmente, a reunião com os governadores nordestinos é para discutir a privatização do Sistema Eletrobras e suas subsidiárias, dentre elas a Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf). A presença de Pimental foi justificada pelo fato do Rio São Francisco nascer em Minas Gerais. O acordo de aliança entre as duas legendas, entretanto, passa pelo recuo do pré-candidato do PSB ao governo de Minas Gerais: o ex-prefeito de Belo Horizonte Márcio Lacerda.

Sua saída do páreo implicaria na formação da aliança entre PT e PSB em Minas, cujo principal beneficiário será o governador Fernando Pimentel, candidato à reeleição. Para compensar a desistência da candidatura de Márcio Lacerda, os petistas em Pernambuco subiriam no palanque do governador Paulo Câmara.

De acordo com o líder do governo no estado, o deputado Isaltino Nascimento, as conversas entre o PT e PSB em Minas estão avançadas e terão reflexos diretos em Pernambuco. Ontem, Paulo Câmara foi a Brasília para tratar de questões do partido, visitar ministérios e discutir política de alianças com o PT.

O presidente do PT de Pernambuco, Bruno Ribeiro, informou que não está à frente da política de alianças com os demais partidos de esquerda e o assunto é tratado pela presidente nacional da legenda, Gleisi Hoffmann. “Não posso dar qualquer declaração sobre o assunto porque poderia atrapalhar a condução de um processo do qual não faço parte diretamente”. De acordo com o petista, seu partido tem um encontro agendado para 10 de junho no estado.

Estratégia
Indiferente às articulações locais e nacionais das duas legendas, a vereadora Marília Arraes (PT) segue roteiro para viabilizar sua pré-candidatura ao governo de PE. Ontem, a petista esteve em Salvador com o ex-governador da Bahia, Jaques Wagner para tratar sobre eleição. No mesmo dia, seu pai, Marcos Arraes, filho do ex-governador Miguel Arraes, desfiliouse do PSB.

Em carta ao presidente nacional da legenda, Carlos Siqueira, ele criticou a condução do partido nessa eleição e declarou apoio ao projeto de eleição de sua filha para o governo de Pernambuco. “Já não me identifico com as ideias, propostas e prováveis coligações que o PSB-PE se apronta a fazer”, disse o exsocialista.