SUPERESPORTES

O tenista que desafia a história Perto de completar 36 anos, Federer se torna o mais velho campeão em Wimbledon e amplia seu recorde de títulos em Grand Slam, com 19 taças

Publicação: 17/07/2017 03:00

Foram três tentativas frustradas nos últimos anos. Em 2016, Roger Federer foi eliminado na semifinal. E, em 2015 e 2014, foi derrotado na decisão. Neste ano, o título de Wimbledon não escapou e o suíço bateu recorde de conquistas na grama de Londres e voltou a fazer história no tênis. Ao fim da vitória sobre o croata Marin Cilic, o tenista suíço admitiu ter ficado espantado com a marca de oito títulos em Wimbledon. “Significa o mundo para mim segurar este troféu, principalmente num torneio que não perdi nenhum set. É mágico, ainda não consigo acreditar. É muita coisa. Nunca imaginei que pudesse alcançar estas conquistas”, declarou.

Federer admitiu que as derrotas recentes na grama de Londres abalaram sua confiança sobre uma possível nova conquista. Mas ele garante que nunca deixou de acreditar nesta possibilidade. “Não estava certo de que voltaria para uma final. Sofri duras derrotas para Novak (Djokovic) em 2014 e 2015. Mas continuei acreditando. E, se você acredita, você tem uma longa vida pela frente. Aqui estou com o oitavo título. É fantástico!”, celebrou

A comemoração ontem contou com a participação da família inteira. No box reservado aos jogadores, a esposa do suíço, Mirka, estava acompanhada dos quatro filhos do casal: as gêmeas Charlene Riva e Myla Rose, de sete anos, e os gêmeos Lenny e Leo, de três anos. “Os meninos não fazem ideia do que está acontecendo. Eles devem estar achando que estão com uma boa vista, num playground. Um dia eles vão entender”, brincou o campeão.

Além de celebrar o novo feito, Federer não deixou de lamentar a lesão que atrapalhou o rendimento do rival ao longo da final. Marin Cilic recebeu atendimento médico para tratar uma lesão no pé esquerdo antes do começo do terceiro set. Com dores, o croata quase desistiu durante o segundo e não ofereceu resistência ao suíço nesta parcial. “(Uma lesão) É cruel algumas vezes, mas ele lutou muito e é um herói. Dou os meus parabéns a você pelo torneio maravilhoso que fez aqui”, disse Federer, dirigindo-se a Cilic. “Você deve ficar muito orgulhoso. Você fez o melhor que podia.”

Futuro
O suíço indicou que deve se afastar novamente do circuito por algumas semanas. “Melhor que ganhar o troféu é me sentir saudável. Isso significa muito para mim. Trabalhei muito duro para estar aqui.” Federer fez uma interrupção em seu calendário da temporada após vencer os Masters de Indian Wells e Miami, nos Estados Unidos. Entre abril e o início de junho, ele ficou afastado para se preparar para a curta temporada de grama. Seu foco sempre foi Wimbledon. Por isso, desistiu do giro de saibro na Europa e se ausentou de Roland Garros.

Os recordes

19 títulos de Grand Slam

O suíço agora tem quatro conquistas a mais que o espanhol Rafael Nadal, campeão 15 vezes. O recorde absoluto é da australiana Margaret Court, com 24 troféus.

29 finais de Grand Slam
Nadal vem em segundo, presente em 22 finais

321 vitórias em Grand Slam
Um recorde absoluto, entre homens e mulheres

Mais velho a vencer em Wimbledon
Campeão aos 35 anos e 342 dias, ele superou a marca do norte-americano Arthur Ashe, que havia levantado a taça aos 31 anos e 361 dias em 1975.