SUPERESPORTES

SANTA CRUZ » Chegada discreta de Grafite

Publicação: 12/08/2017 03:00

A primeira vez de Grafite no Arruda em 2017 foi bem diferente da chegada de 2015. Há dois anos, o camisa 23 desceu no gramado de helicóptero, vestindo terno e óculos estilosos para saudar a torcida que foi recebê-lo. A realidade foi bem diferente na sexta-feira. Reflexo da crise financeira e técnica do clube. O ídolo coral nem foi apresentado de forma oficial. Chegou e foi treinar imediatamente, assistido por pouquíssimos tricolores. Discrição que não pareceu incomodá-lo. O atacante parecia mais focado em lutar contra o tempo para voltar aos gramados o mais rápido possível.

Sem jogar desde o dia 5 de julho - estava só treinando em academias -, o atacante estabeleceu um prazo de dez dias para estar pronto para a sua estreia. A forma física, aparentemente, não será o maior problema. O ritmo de jogo pode ser o principal obstáculo, mas não será uma novidade para o atacante. Ele enfrentou a mesma barreira em 2015. Bem maior naquela ocasião, destaque-se, pois o atleta vinha de temporada no futebol árabe, que é conhecido por não forçar os atletas fisicamente.

O contexto atual, portanto, indica uma “recuperação” mais rápida. Apesar do tempo longe dos gramados, Grafite estava recentemente no Atlético-PR e está há dois anos no futebol brasileiro. Adaptado, portanto, ao estilo de jogo. Outra questão que deve ser mais simples envolve a sua regularização. Sem necessidade de transferência internacional, é provável que sua documentação esteja pronta e liberada ao longo da próxima semana, antes da viagem para Campinas, onde o Tricolor do Arruda enfrentará o Guarani no próximo pela 21ª rodada.

ATUAÇÃO
O primeiro treino de Grafite, sexta, confirmou que a falta de ritmo e entrosamento com os companheiros são os fatores que vão atrapalhá-lo no início. Ficou claro que ele não perdeu o jeito com a bola. Alguns bons passes e dribles inesperados, mas uma certa falta de “diálogo” com os demais atletas. Talvez a situação melhore quando treinar com os titulares, o que será questão de tempo. O nome e a qualidade de Grafite têm um peso diferente no Arruda e é natural até que ele tome o posto de algum dos três atacantes.

Mercado
Santa em busca de um zagueiro

O Santa está no mercado atrás de reforços, apesar do cenário crítico nas finanças. A diretoria não revela as posições que negocia, mas a possibilidade de ir atrás de um zagueiro está entre as prioridades é grande, após a dispensa de Jaime, que vinha sendo titular no setor. O elenco que contava com apenas cinco jogadores da posição agora tem apenas quatro. Givanildo Oliveira tem apenas Bruno Silva, Sandro - que foi contratado há pouco mais de um mês -, Eduardo Brito e Anderson Salles à disposição, sendo este o que mais “ganhou” com a dispensa. Todas as vezes que Jaime esteve suspenso ou lesionado, Salles assumiu o posto na zaga coral.