SUPERESPORTES

Manter a posse de bola, agora, passa a ser solução Diante do Figueirense, técnico Marcelo Martelotte quer o Santa Cruz tendo mais a bola do jogo nos pés

Rafael Brasileiro
rafael.brasileiro@diariodepernambuco.com.br

Publicação: 12/10/2017 03:00

A pressão por um resultado positivo fora de casa pode fazer o técnico do Santa Cruz, Marcelo Martelotte mudar o discurso. É que após a vitória diante do Goiás, no Arruda, o treinador afirmou que posse de bola não importava muito. Naquela ocasião, o time coral teve apenas 35% de domínio de bola no jogo. Já contra o Figueirense, sábado, em Florianópolis, mais um adversário direto na luta contra o rebaixamento, Martelotte deu sinais que deseja algo diferente.

Durante o treinamento de ontem, ele pediu por várias vezes para o time manter a posse de bola. Uma tática que o meia João Paulo soube explicar e acredita que posse ser bastante útil para o Tricolor. “Martelotte estava cobrando bastante que os passes fossem para frente e rápidos. Ele queria uma transição mais veloz. Acho que vai ser um jogo bastante disputado e tentaremos explorar o contra-ataque para sair com a vitória. É um adversário direto na competição e quanto mais ficarmos com a bola as chances de criar são maiores. Podemos ter mais oportunidades de gols e não deixaremos eles jogarem”, explicou.

PRESSÃO
Um dos atletas mais experientes do elenco coral, o zagueiro Anderson Salles acredita que o Figueirense terá que pressionar desde o início do confronto. Acha, assim, que essa situação pode ser positiva para o Santa Cruz. Por ser mandante e também estar pressionado por uma vitória, os donos da casa vão partir para cima.

“O Figueirense é a equipe que terá que propor o jogo por estar atuando em casa e na frente da sua torcida. Acho que temos que focar nos pontos fracos deles e procurar sair com a vitória. Vencendo lá a gente pelo menos troca de lugar com eles. Não sai da zona, mas já fica em uma posição melhor e a menos pontos de sair do Z4. A gente tem que ir pra lá buscando a vitória. Creio que o empate não é uma coisa boa para a gente.”
 
Fora do Arruda
O Santa Cruz confirmou ontem através da assessoria de comunicação que o volante Bileu e o atacante Pachu não fazem mais parte do elenco coral. Além dos dois atletas, o atacante Julio Sheik também deixou o clube, mas por sua vontade. O atleta começou o treinamento de ontem normalmente, mas deixou a movimentação e comunicou aos companheiros de clube através de uma mensagem no whattsapp que não ficaria no Arruda.