Nem tão bom, nem tão ruim assim... Mesmo contra um Grêmio desfalcado, Sport não sai do 0 a 0, mas vai para a parada da Copa com uma boa campanha na Série A do Brasileirão

João de Andrade Neto
joaoneto.pe@diariodepernambuco.com.br

Publicação: 14/06/2018 03:00

O Sport não conseguiu tirar proveito de um Grêmio com vários desfalques, e não saiu do 0 a 0 ontem, na Ilha do Retiro, pela 12ª rodada do Brasileirão. Partida que marca a parada para a Copa do Mundo. Isso porque o próximo compromisso do Leão será apenas no dia 18 de julho, diante do Ceará, em Fortaleza.

O resultado, apesar de poder ser considerado como um tropeço pelas circunstâncias, não invalida a boa campanha do Leão na 12 primeiras rodadas da Série A. Com 19 pontos, a equipe vai para a pausa com 19 pontos, em posição intermediária na classificação. Bem acima do desenhado no início da competição, quando os rubro-negros eram apontados como um dos maiores candidatos ao rebaixamento. O desafio agora é manter a performance na retomada do campeonato.

O jogo

Impondo uma forte marcação, muitas vezes na saída, o Sport não deixou o Grêmio respirar. Em alguns momentos, chegou a recuperar a bola no campo de ataque, faltando no entanto uma maior qualidade no passe ofensivo. E com as defesas tendo superioridade sobre os ataques, o primeiro tempo foi fraco em lances de perigo e emoção.

Tanto que em 47 minutos, o goleiro gremista Marcelo Grohe não foi obrigado a fazer nenhuma defesa. Já do lado leonino, o garoto Mailson trabalhou apenas em uma falta cobrada pelo volante Arthur e tomou um leve susto em finalização para fora do meia Lima. E foi só. Restava ao Sport, para a etapa final, aliar a boa marcação com um maior poder ofensivo.

Com a entrada de Michel Bastos, o Sport cresceu. Aos 17 minutos, com um lançamento do meia, Rogério entrou livre de frente para o goleiro gremista. Porém, o atacante fez feio, ao se atrapalhar com a bola e perder a melhor oportunidade da partida. E o zero ficou no placar.
 
Vaias para André

O retorno de André na Ilha acabou sendo marcado por muitas vaias e xingamentos direcionados ao jogador. “Já esperava por isso. A torcida tem o direito de vaiar. Isso não vai apagar o meu carinho pelo Sport e a história que eu tenho aqui, onde bati recordes. Vaiar faz parte. Saio feliz com o resultado pois ganhar do Sport na Ilha é sempre difícil”, destacou.