LOCAL

TRADIÇÃO » Procissão junina leva beleza a percurso na Zona Norte

Publicação: 19/06/2017 03:00

Ainda que o nome da festa não deixe qualquer dúvida sobre a sua origem, o lado religioso do São João por vezes é menos lembrado do que outros elementos típicos, das comidas às músicas. Esse aspecto sacro da celebração é o mote da Procissão dos Santos Juninos, realizada na noite de ontem, em Casa Amarela. Em sua décima edição, o evento organizado pela prefeitura teve cortejo do Morro da Conceição ao Sítio da Trindade.

“O São João, antes de ser uma festa popular, é uma festa religiosa”, enfatiza o padre Renato Azevedo, pároco da matriz da Nossa Senhora da Conceição. Embora a celebração seja originalmente ligada a uma comemoração pagã, o período junino ganhou contornos litúrgicos em países como Portugal e incorporou outros santos, a exemplo de São Paulo, São Pedro e Santo Antônio. “E São José, na tradição nordestina, é associado à boa colheita do milho”, acrescenta Azevedo sobre os tons regionais do festejo. O sacerdote foi responsável pela benção e saudação às 19 bandeiras que participaram do trajeto.

“Adoro São João e, para mim, quanto mais tradicional, melhor. Aqui, parece festa de interior”, disse a aposentada Neide Salomão. Com pavilhões juninos de vários municípios da Região Metropolitana, o cortejo foi acompanhado também pela banda Vereda Tropical, executando hinos sacros e dobrados. A partir da Rua da Harmonia, a Forrovioca e o Trio Pé de Serra Forró Luado reforçaram o lado profano do ciclo junino, seguindo o folguedo até o Sítio da Trindade. A programação no local incluiu o espetáculo Quero ver páia voá, sobre a história dos festejos juninos, e apresentações musicais na Sala de Reboco instalada no local.

Para além do forró, ouviu-se também o som dos bacamartes, com a presença de integrantes da Associação de Bacamarteiros de Pernambuco. Moradora do Cabo, a dona de casa Adenir de Lourdes é uma das integrantes do grupo há oito anos e empunha com orgulho a arma durante todo o trajeto. Embora até hoje alguns grupos não permitam a entrada de mulheres, Lourdes ingressou a convite de uma amiga que já fazia parte das fileiras.