LOCAL

R$ 2 milhões para vítimas do zika vírus Ministério da Saúde vai repassar recursos para atenção às crianças nos serviços municipais de saúde. Pernambuco tem 399 casos confirmados

Publicação: 13/09/2017 03:00

Os serviços municipais da atenção básica de saúde receberão aporte de recursos federais para ampliar e qualificar o atendimento às crianças com a síndrome congênita do zika vírus. Ontem, o ministro da Saúde, Ricardo Barros, veio ao Recife participar da abertura do Encontro Regional: Fortalecimento da Atenção Básica na Articulação das Redes de Atenção à Saúde e assinou uma portaria que determina a liberação imediata de R$ 27 milhões. Desses, R$ 15 milhões serão destinados aos Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASFs) e R$ 11,8 milhões para os serviços estaduais e municipais de avaliação, diagnóstico e acompanhamento dos 5,3 mil casos em todo o país de pacientes com microcefalia, mesmo os que estão sob investigação.

De acordo com Ricardo Barros, cada estado receberá um percentual de acordo com o número de crianças com microcefalia. Pernambuco, que possui 399 casos confirmados e 236 em investigação segundo último boletim epidemiológico do Ministério da Saúde, receberá R$ 2 milhões. O investimento é de R$ 2,2 mil por criança.

“São mais de quatro mil equipes do Núcleo de Apoio Apoio à Saúde da Família em todo o país. Esses recursos serão destinados ao diagnóstico, reavaliação da situação dos pacientes para que possamos acompanhar a evolução da síndrome e tomar providências”, disse o ministro. Ele afirmou que essas verbas também devem ser usadas para investigar os casos que não foram confirmados e nem descartados. Também serão adquiridos novos kits fisioterápicos, como colchonetes, bolas, brinquedos, trena antropométrica, martelo de reflexo, entre outros materiais que estimulem o desenvolvimento dos sentidos e a coordenação motora das crianças com microcefalia.

“Temos responsabilidade com a microcefalia. O governo retirou a emergência mas mantém o apoio. As famílias que se enquadram nas normas recebem um salário mínimo por mês. E nós continuaremos investindo para que as famílias tenham a assistência necessária para conduzir a criação dessas crianças”, complementou Ricardo Barros. No Brasil, 2,7 mil bebês foram confirmados com a síndrome, enquanto 2,6 mil casos ainda estão em investigação.

Os R$ 27 milhões serão repassados para os estados, que ficarão responsáveis por avaliar quais os municípios mais necessitados. Segundo o secretário estadual de Saúde, Iran Costa, o Recife e os municípios da Região Metropolitana, além de Caruaru, são os que apresentam o maior número de casos de microcefalia. “Essa informação está chegando agora. Na próxima semana, as câmaras técnicas das secretarias estadual e municipais devem se reunir para avaliar como a distribuição dos recursos”, disse Iran.