LOCAL

SAúDE » Hospital das Clínicas ganha PETscan

Publicação: 12/10/2017 03:00

O Hospital das Clínicas (HC), na Cidade Universitária, deve receber quase R$ 2 milhões para serem aplicados na criação da enfermaria Mãe-Canguru e nas reformas da UTI Neonatal e da Enfermaria de Psiquiatria. O anúncio foi feito, ontem, durante a inauguração do PETscan, aparelho mais moderno no diagnóstico de câncer por imagem, e da Ressonância Magnética. Do lado de fora do anfiteatro onde aconteceu a cerimônia, alunos de medicina e enfermagem fizeram um protesto contra as condições precárias do prédio. O evento contava com a presença do ministro da Educação, Mendonça Filho, mas, segundo a assessoria de imprensa do político, a equipe atrasou-se em um evento em uma escola pública de Primavera, na Mata Sul do estado.

O HC é o único hospital público de Pernambuco a ter um PETscan, instrumento que permite a detecção precoce, o acompanhamento e o tratamento de câncer e de outras doenças por meio de uma visualização eficaz do metabolismo celular. Já o equipamento da ressonância estava embalado há dois anos e somente agora foi inaugurado. Serve também para diagnosticar por imagem em alta definição anomalias nos órgãos internos do corpo por meio da utilização de um campo magnético.

Além disso, também foram inauguradas oficialmente a reabertura do Centro Cirúrgico Ambulatorial, agora com quatro salas, e a ampliação do Bloco Cirúrgico, que passa a operar com dez salas. O HC é vinculado à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh). O presidente da Ebserh, Kleber Morais, representou o ministro durante a cerimônia. “Os hospitais universitários têm que ser os melhores do Brasil, pois é onde se formam não só os profissionais da área de saúde, mas também onde trabalham pessoas de todas as áreas.”

Na frente do anfiteatro onde ocorria o evento, estudantes criticaram as condições dos outros anfiteatros, ao todo quatro no prédio. O reitor da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Anísio Brasileiro, disse que na próxima semana deve se reunir com os estudantes para discutir as queixas. No entanto, não confirmou datas nem mesmo previsão de reparos nas salas danificadas.