LOCAL

WhatsApp será usado para identificar ladrões Aplicativo vai receber denúncias de assaltos a ônibus para ajudar a polícia a chegar aos bandidos

Publicação: 14/11/2017 03:00

ASecretaria de Defesa Social (SDS) anunciou, ontem, que a partir deste mês a população poderá fazer denúncias de assaltos a ônibus através do WhatsApp (81 99488-7091). A proposta do canal é receber informações, imagens e vídeos dos delitos cometidos dentro dos coletivos para auxiliar a Polícia Civil na investigação dos grupos que atuam nesse tipo de crime. Segundo a SDS, essa é mais uma ação da Força Tarefa Coletivos, operação conjunto entre a Polícia Militar de Pernambuco (PMPE) e a Polícia Civil (PCPE), desde o mês de agosto, para diminuir o número de assaltos a ônibus.
De acordo com o secretário de Defesa Social, Antônio de Pádua, nos meses de setembro e outubro deste ano houve uma redução de 41% nos assaltos aos coletivos que circulam na Região Metropolitana do Recife (RMR), se comparado com o mesmo período do ano passado. Segundo ele, de janeiro a outubro deste ano, foram efetuadas 272 prisões após o trabalho de investigação da Polícia Civil.
“O WhatsApp é uma ferramenta que surgiu a partir da Força Tarefa Coletivos para trazer informações à Polícia Civil. Mas se for uma situação que esteja ocorrendo no momento que o usuário envia, é possível que a Polícia Militar se desloque e faça efetivamente a abordagem no coletivo para fazer a prisão dos assaltantes”, afirmou o secretário. Segundo a SDS, há garantia total do sigilo sobre a identidade de quem repassou as informações.
Ainda de acordo com os dados da SDS divulgados ontem, no último mês de setembro, foram registrados 75 assaltos a ônibus, enquanto em outubro deste ano caiu para 65 delitos. Esses números representam que foram notificadas duas ocorrências por dia em ambos os meses. “Em setembro, apenas em um dia não foi registrada ocorrência. Em outubro, tiveram três sem ocorrência”, destacou o secretário executivo de Defesa Social, Humberto Freire.
Os números da SDS divergem dos divulgados pelo Sindicato dos Rodoviários. De acordo com entidade sindical, de janeiro a setembro deste ano, foram contabilizados 3025 assaltos a ônibus. Já a SDS trabalha com 1209 ocorrências. “Um roubo a coletivo muitas vezes tem várias vítimas. Mesmo que cada uma delas faça o registro da ocorrência, só podemos contabilizar um assalto. Então a Polícia Civil faz esse cruzamento de informações para que a gente consiga chegar a esses números”, justificou Humberto Freire.
A Força Tarefa Coletivos atua em duas frentes. A PM tem realizado ações ostensivas em coletivos. Já a Polícia Civil faz um trabalho de mapeamento das ocorrências.