VIVER

Tributo à altura de McCartney Espetáculo em homenagem à trajetória do ex-Beatle combina sucessos do quarteto de Liverpool com canções da carreira solo do artista britânico

Eduarda Fernandes
Especial para o Diario
edviver@diariodepernambuco.com.br

Publicação: 21/04/2017 03:00

A capital pernambucana recebe o espetáculo Simplesmente Paul, neste domingo, no Teatro RioMar (Avenida República do Líbano, s/n, Pina), a partir das 20h. A noite é comandada por Celso Anieri, um dos fundadores do grupo cover Beatles 4 Ever. “Sempre fui frustrado por nunca ter conseguido ver os Beatles ao vivo”, conta Celso, que conheceu a banda britânica em 1972, quando morou em Londres por alguns anos. “Lembro de quando ouvi o primeiro disco deles (Please please me, lançado em 1963). Foi uma sensação única, que não consigo colocar em palavras”, diz.

Com a volta ao Brasil, veio também a inspiração para o grupo cover, do qual fez parte por 22 anos. “Tive que sair dos palcos por algum tempo porque tinha perdido minha identidade. Não era mais o Celso, era o Paul”, relata. A primeira geração da Beatles 4 Ever contou ainda com Ronaldo Paschoa (John), Marcus Rampazzo (George) e Vitor Bonnesso (Ringo). Depois de 17 anos longe dos palcos, Celso retornou com o tributo à trajetória de McCartney, que começou a ser pensado em 2015. “Queria fazer uma homenagem digna de Paul, que é o maior artista vivo no mundo hoje. Não tenho medo de exagerar”, afirma ele, que já foi a quatro shows do artista e o conheceu durante uma coletiva de imprensa. “Ele assinou o meu baixo e conversou comigo, mas eu não conseguia falar nada, só chorar”, ri. “Ele é uma estrela, um mito”.

Simplesmente Paul, no entanto, não é apenas um show cover, explica Celso, que se responsabiliza pelos vocais, baixo, teclados, violão, bandolim e ukulele. O espetáculo é um musical que, por meio de textos, vídeos e imagens, relembra a história dos garotos de Liverpool e a carreira solo do parceiro de John Lennon. “Tem um roteiro muito bem montado. Começa com o término da Segunda Guerra Mundial, algo que Paul, John, George e Ringo vivenciaram. Não é cronológico, mas mostra algumas cenas pontuais, como a morte de George”, explica Celso. No repertório, clássicos dos Beatles como Penny Lane, All you need is love, Help, Good day sunshine e Yesterday, além de músicas da carreira solo de McCartney e da época com o grupo Wings, como Maybe I’m amazed, Comin’ up, My love e My valentine. “Foi um processo muito complicado, a seleção das músicas. Os Beatles tem mais de 200 e o Paul, nem se fala. Estamos sempre tirando e colocando canções, com medo do público não entender as referências”. O espetáculo conta com 25 músicas e cerca de uma hora e meia de duração.

Serviço

Simplesmente Paul
Quando: domingo, às 20h
Onde: Teatro RioMar (Avenida República do Líbano, s/n, Pina)
Quanto: R$ 100 e R$ 50 (meia) para o balcão nobre, R$ 120 e R$ 60 (meia) para a plateia alta e R$ 140 e R$ 70 (meia), à venda na bilheteria do local