VIVER

Telinha

Publicação: 21/04/2017 03:00

Conflito bélico sob olhar brasileiro

BRENO PESSOA
breno.pessoa@diariodepernambuco.com.br


Cenas de conflitos armados, exército norte-americano em solo estrangeiro e soldados jovens dispostos a lutar pelos EUA. Os elementos presentes em Castelo de areia, novo trabalho do diretor brasileiro Fernando Coimbra, se assemelham a inúmeros títulos com a temática de guerra. Ainda assim, a primeira produção internacional do cineasta, disponível a partir de hoje na Netflix, difere, e muito, de um filme típico do gênero, questionando e refletindo sobre intervencionismo militar.

Embora se trate de uma realidade aparentemente distante, Coimbra considera a trama de fácil identificação para brasileiros. “É muito parecido com o que se tem com uma favela ocupada no Rio de Janeiro, seja ocupada por uma Unidade de Polícia Pacificadora ou por uma facção criminosa”;

Escrito pelo ex-militar Chris Roessner e rodado na Jordânia, o filme é situado no início da Guerra do Iraque, em 2003. O protagonista é o soldado Matt Ocre (Nicholas Hoult), que é enviado, junto ao pelotão, para pacificar um vilarejo iraquiano. A missão chega justamente quando o reticente militar estava prestes a ser enviado de volta para casa. Já na sequência inicial, Matt, intencionalmente, machuca a mão, tentando conseguir a esperada dispensa, o que não ocorre.

“O roteiro me surpreendeu muito, me bateu forte, com essa jornada dos personagens. Essa forma não heroica, não patriótica, uma visão incomum no cinema norte-americano”, diz Coimbra, que recebeu o convite para dirigir o filme após a boa recepção internacional de O lobo atrás da porta (2013). O cineasta também participou de outra produção Netflix, a série Narcos, dirigindo dois episódios.

“É um filme que se passa numa guerra, com um personagem com que as pessoas podem se identificar”
Fernando Coimbra, cineasta

FINAL
Despedida de Pretty little liars

É o começo do fim de Pretty little liars. Na terça-feira, a sétima e derradeira temporada da série retornou à TV norte-americana e o elenco formado por Troian Bellisario, Lucy Hale, Ashley Benson, Shay Mitchell e Sasha Pieterse comentaram os capítulos. “Nós terminamos as filmagens em outubro, mas teríamos essa semana para atender à imprensa. Isso aqui é meio que a nossa última jornada, como a última vez em que estaremos todas juntas por um tempo. É muito estranho”, disse Lucy.

Fim do contrato

A Fox News anunciou o rompimento do contrato com o apresentador conservador Bill O'Reilly, devido às denúncias de assédio sexual contra ele.

DEBATE
Análise do meio musical

O rapper Rico Dalasam conversa sobre assuntos como solidão, xenofobia e bissexualidade no Estação plural, hoje, às 23h, na TV Brasil. O artista detalha como foi assumir a homossexualidade.