VIVER

Telinha

Publicação: 19/05/2017 03:00

Caso de polícia em série documental

Fernanda Guerra
fernanda.guerra@diariodepernambuco.com.br

No fim de 2015, a Netflix lançou a série documental Making a murderer sem fazer alarde. Em dez episódios, a produção sobre os julgamentos de Steven Avery e Brendan Cassey, acusados do homicídio da fotógrafa Teresa Halbach, ganhou holofote mundial e prêmios em cerimônias especializadas, como quatro Emmys, além de ter gerado ampla repercussão na internet, com direito à resposta oficial da Casa Branca. Enquanto a segunda temporada não se desenha, o serviço de streaming disponibiliza, amanhã, outra série documental sobre um fato intrigante. The keepers reconstitui a história do desaparecimento da Irmã Cathy Cesnik, freira de Baltimore que era professora de inglês em um colégio católico.
Com direção de Ryan White e sete episódios no total, a produção reúne depoimentos de amigos, familiares, da imprensa local e de representantes do governo. O desaparecimento de Irmã Cathy foi registrado em novembro de 1969, e o corpo foi encontrado quase dois meses depois em um lixão. A investigação adentra em questões delicadas envolvendo a Igreja Católica, como abuso e crimes em uma cidade norte-americana.
Mesmo tendo ocorrido há decadas, o caso permanece sem solução. Assim como Making a murderer, que apontou falhas durante o julgamento, a produção procura desvendar mistérios. A série foi feita há três anos, mas a ideia inicial era contar a história em um filme. A projeção alcançada por produções documentais modificou o projeto. The Jinx, dirigido por Andrew Jarecki para a HBO, também é destaque do segmento documental. Com seis episódios, a produção investiga o desaparecimento da estudante Kathie, esposa do milionário Robert Durst, principal suspeito de três homicídios.

“Nós não sabíamos o que estávamos fazendo. Então essas séries pavimentaram a maneira para este formato documental”
Ryan White, diretor

house of cards
A realidade supera a ficção

Sempre antenada com fatos políticos relacionados ao Brasil e aos Estados Unidos, a produção da série House of cards, da Netflix, satirizou mais uma vez o noticiário tupiniquim. Nas redes sociais, uma mensagem fez referência às gravações nas quais o presidente Michel Temer dá aval à compra do silêncio do colega de partido Eduardo Cunha. Anteontem, leu-se no perfil oficial da série no Twitter, em português: “Está difícil competir”. A página é seguida por mais de 1,5 milhão de pessoas.

Críticas a Huck na web
Internautas acusaram o apresentador Luciano Huck de apagar todas as imagens com Aécio Neves de suas redes sociais após escândalo envolvendo o político.

audiência
escândalo político no telejornal

O Jornal nacional de anteontem foi 10% maior do que a média do telejornal. Com 33,4 pontos, teve desempenho acima do que a edição que noticiou o depoimento de Lula (PT) ao juiz Sérgio Moro.