VIVER

Recados capitais feitos de hai kai

Tiago Barbosa
tiagobarbosa@diariodepernambuco.com.br

Publicação: 12/08/2017 03:00

A bifurcação entre indignação e esperança sobre dilemas e atitudes do cotidiano da sociedade é o caminho percorrido pelas páginas de mais dois volumes de Hai kados, versão adulta da série Poeminhas assinada pelo cartunista do Diario de Pernambuco Samuca e pelo jornalista Ricardo Mello. Os livretos empregam a linguagem mínima amarrada a ilustrações correspondentes para criticar males mundanos como ganância, egoísmo, imaturidade, avareza, mediocridade, falsidade, soberba e outras condutas humanas socialmente nocivas. O casamento entre texto e imagem alfineta sem perder a leveza do humor sugerida pelos traços expressivos e cartunescos ou a reflexão despertada pelo recurso da ironia verbal.

“São reflexões baseadas em cotidianos reais, às vezes até em pessoas específicas bem reais. Pretende-se que seja, cada hai kado, uma ponte - crítica, é verdade - com a esperança. Porque só conhecendo e pensando podemos tornar melhor”, observam os autores na introdução da obra.

A simbiose narrativa ecoa uma parceria frutífera de 15 anos mantida entre o cartunista e o jornalista, chancelada em títulos como Só digo para o seu bem, Corda de cordel e A quase tragédia de Mané ou bode que ia dando bode (adaptada depois para animação).

Serviço

Hai kados (4º volume e coletânea)
Quando: neste sábado, às 18h
Onde: Bar Boteco Porto Ferreiro (Avenida Rui Barbosa, 458, bairro das Graças, no Recife)