VIVER

Suprassumo do cinema em cartaz Sala da Fundaj faz maratona com clássicos da sétima arte, longas-metragens de destaque ao longo de 2017, além de algumas apostas para o ano seguinte

Publicação: 07/12/2017 09:00

A partir de hoje, o Cinema do Museu/Fundação Joaquim Nabuco promove maratona de filmes durante a 20ª edição da Mostra Retrospectiva/Expectativa. Com duração de dez dias, serão exibidos 46 longas-metragens, entre clássicos restaurados, uma retrospectiva dos principais lançamentos de 2017 e obras inéditas com potencial de brilhar no próximo ano. A programação integra, ainda, duas mostras internacionais: 100 anos de Jean-Pierre Melville e a Short wave (de curtas poloneses). As sessões custam R$ 14 e R$ 7 (meia), com exceção das mostras, cujos ingressos serão R$ 5.

A mostra apresenta os pré-lançamentos dos filmes Antes do fim (Brasil), de Cristian Burlan, Saudade (Brasil), de Paulo Caldas, Café com canela (Brasil), de Ary Rosa e Glenda Nicácio, O outro lado da esperança (Finlândia), de Aki Kaurismäki, Lumière! A aventura começa (França), de Thierry Frémaux, Esplendor (Japão), de Naomi Kawase, e No intenso agora (Brasil), de João Moreira Salles. O evento contará com debates sobre os filmes com realizadores, atores e críticos, em cinco das sessões, recebendo nomes como Paulo Caldas, Cristiano Burlan, Jean-Claude Bernadet, Valdinéia Soriano e o professor Paulo Cunha.

Cinco clássicos do cinema mundial ganham exibição com cópias restauradas: A primeira noite de um homem (1967), de Mike Nichols, A bela da tarde (1967), de Luis Buñuel, Hiroshima, meu amor (1969), de Alain Resnais, Gritos e sussurros (1972), de Ingmar Bergman, e Acossado (1960), de Jean-Luc Godard. A retrospectiva 2017 traz de volta às telas obras a exemplo de Como nossos pais, Divinas divas e O filme da minha vida.

Outro destaque da programação é a mostra Melville, que apresenta obras do cineasta parisiense Jean-Pierre Melville e trabalhos que retratam a vida dele, um representante do cinema noir norte-americano dos anos 1940 e autor de clássicos policiais interpretados por nomes como Alain Delon, Jean-Paul Belmondo e Lino Ventura. Durante os dias do festival, oito longas e um curta darão conta de celebrar o centenário do realizador.

Primeiros dias

Hoje


14h - Corpo elétrico (Brasil, 2017) - Ficção. De Marcelo Caetano
15h50 - Columbus (EUA, 2017) - Ficção. De Kogonada
18h - A bela da tarde (França, 1967).  Clássico restaurado - Ficção. De Luis Buñuel (Zeta Filmes)
20h - Antes do fim (Brasil, 2017). Debate com o diretor Cristian Burlan e com o ator Jean-Claude Bernardet - Ficção. De Cristian Burlan

Amanhã

14h - Uma mulher fantástica (Chile, Alemanha, Espanha, EUA, 2017) - Ficção. De Sebastián Lelio
16h - Divinas divas (Brasil, 2016) - Documentário. De Leandra Leal
18h10 - O reino da beleza (Canadá, 2013) - Ficção. De Denys Arcand
20h10 - Mostra Melville

(Abertura)

Apresentação do professor Paulo Cunha da Universidade Federal de Pernambuco
Bob, o jogador (França, 1955) - Ficção. De Jean-Pierre Melville

Sábado

14h30 - O filme da minha vida (Brasil, 2017) - Ficção. De Selton Mello
16h40 - Tudo por amor ao cinema (Brasil, 2015) - Documentário. De Aurélio Michiles
18h30 - O homem que matou John Wayne (Brasil, 2016) - Documentário. De Bruno Laet, Diogo Oliveira
20h - Saudade (Brasil, 2017). Debate com o diretor Paulo Caldas - Documentário. De Paulo Caldas

Domingo

14h10 - Garoto fantasma (França, Bélgica, 2017) - Animação. De Alain Gagnol
15h50 - Como nossos pais (Brasil, 2017) - Ficção. De Laís Bodanzky
17h50 - O outro lado da esperança (Finlândia, 2017) - Ficção. De Aki Kaurismäki
20h -  (França, 1960). Clássico Restaurado  - Ficção. De Jean-Luc Godard