VIVER

Novas sonoridades ganham espaço na web Lista do Spotify revela estilos musicais - alguns deles com nomes estranhos - em ascensão no mundo

Matheus Dantas
Especial para o Diario
edviver@diariodepernambuco.com.br

Publicação: 03/01/2018 03:00

O ano de 2017 trouxe muitos triunfos para a ascensão de diversos gêneros musicais. Luis Fonsi apresentou ao mundo o ritmo alegre e animado da música latina com Despacito. Justin Bieber, DJ Khaled, Quavo, Chance the Rapper e Lil Wayne mostraram que a mistura do pop com o hip-hop e as batidas de música eletrônica dão certo, como foi o caso do sucesso de I’m the one.

No Brasil, a mistura dos gêneros musicais chamou a atenção e sinônimos como “funknejo” e “rapnejo” apareceram no vocabulário dos ouvintes. A junção do funk, do rap e da música eletrônica com o sertanejo vingou e hits como Mentalmente, de MC Kevinho com Naiara Azevedo, Eu vou te buscar, de Gusttavo Lima e do rapper Hungria, e Suave, do DJ Alok com a dupla Matheus & Kauan, caíram na boca do povo.

De acordo com o Spotify, dez gêneros musicais que até então não tinham tanta notoriedade nos anos anteriores conquistaram espaço em 2017. São eles: melodic power metal, chaotic black metal, chillhop, trap latino, future funk, jumpstyle, serialism, cinematic dubstep, vintage swoon e gamecore.

Os nomes de batismo podem soar estranhos para o grande público. Por isso, Hugo Leonard, professor da Universidade de Brasília (UnB) e doutor em música, e Renan Ventura, compositor e produtor musical, analisaram os estilos dos gêneros selecionados pelo serviço de streaming no top 10 de gêneros musicais em ascensão. Confira.
 
Misturas curiosas
 
Melodic Power Metal
Estilo mais pesado do metal, com linha mais punk. Traz batidas rápidas de baterias com dois bumbos, guitarras distorcidas com muitos solos, duos e um vocal limpo. Músicas são relacionadas à fantasia, mitologia europeia, luta por liberdade, guerra e morte.

Chaotic Black Metal
Relacionado ao metal e à linha black metal, explora temas relacionados ao satanismo e à vertente antirreligiosa. Vocais são agressivos, com presença de teclados, fortes batidas de baterias e guitarras tocando rifs, criando sonoridade dissonante.

Chillhop
Tem batidas eletrônicas mais lentas, com andamento calmo, e batida de bateria sampleada ligada aos elementos de jazz, criando atmosfera relaxante e agradável.

Trap Latino
Remete ao hip-hop norte-americano, com toques de música eletrônica, efeitos sonoros, alguns com instrumentos latinos, sendo cantados em espanhol.

Future Funk
Caracterizado por canções antigas, com referências às músicas eletrônicas japonesas, além de ter traços de discoteca dos anos 1970 e 1980.
 
JumpStyle
É um estilo de dança, sendo uma subseção do hard dance. As faixas são mais melódicas, com batidas entre 135 a 180 batidas por minuto. São ideais para se dançar o jumpstyle.

Serialismo
Tipo de música pós-tonal que advém de técnica de composição criada no início do século 20. O sistema atribui sequência de números às notas musicais para compor elementos harmônicos e melódicos da peça.

Cinematic Dubstep
Variação do dubstep, tem uso intenso de subgraves, com sons de frequências baixas, com 16 ou 32 compassos. Alguns artistas incorporaram gêneros como techno, basic channel, música clássica e heavy metal.

Vintage Swoon
“Classe” criada pelo Spotify, para remeter a músicas antigas de 1940 e faixas do início do rock’n’roll dos anos 1950.

Gamecore
A maioria das músicas deste gênero é totalmente eletrônica, com muito teclado, sons sintetizados e poucos instrumentos. Os efeitos sonoros remetem ao som de jogos de computadores ou de consoles clássicos como Mario Bros.