VIVER

Hibridismo nos palcos da RMR Música, teatro e dança se combinam no segundo dia do Janeiro de Grandes Espetáculos, com encenações distribuídas em 14 espaços

ISABELLE BARROS
isabelle.barros@diariodepernambuco.com.br

Publicação: 11/01/2018 03:00

O segundo dia do Janeiro de Grandes Espetáculos - agora chamado de Festival Internacional de Artes cênicas e Música de Pernambuco - passa a mostrar um espectro maior de atrações, em uma programação com espetáculos de teatro, música e dança. A noite de hoje começa com dois espetáculos às 19h30: Daqui não saio, daqui ninguém me tira!, do Balé Deveras, no Teatro Barreto Júnior (Pina), e Dialogus ibericus, dirigido por Moncho Rodriguez, no Teatro Apolo (Bairro do Recife).

Este último, um espetáculo híbrido, traz dois espanhóis - o violonista Carlos Blanco e a cantora e percussionista Vanessa Muela - e a portuguesa Alexandra Fonseca, com poemas do cearense Ronaldo Correia de Brito. “Pensamos assim: tudo o que fazemos na vida a gente canta e dança. Criamos o ciclo da vida, cantado, dançado, tocado. Achamos que esse é um resgate bonito das canções tradicionais e populares ibéricas, que se misturam com o flamenco, com os cânticos árabes, que acabaram chegando no Nordeste do Brasil”, afirma Moncho. Também participa do espetáculo, com outra sessão às 19h de amanhã, o pernambucano Beto do Bandolim.

Outra criação híbrida é Dorinha, meu amor, que se serve da linguagem dos musicais para costurar teatro e música na voz de Isadora Melo e direção de João Falcão. A segunda sessão está programada para as 20h de hoje, no Teatro de Santa Isabel. Já o Grupo Magiluth volta a apresentar na cidade seu espetáculo mais recente, Dinamarca, em que trechos do clássico Hamlet, de Shakespeare, inspiram uma sucessão de cenas que mostram o mal-estar por baixo da superfície das relações sociais. A peça será encenada às 20h no Teatro Marco Camarotti.

Os representantes da música na grade de hoje são Igor de Carvalho e Tibério Azul, que repetem a parceria realizada no Festival de Inverno de Garanhuns em 2017. Eles apostam em repertório de música autoral e versões de canções de outros artistas pernambucanos, como Juliano Holanda, Lirinha e Siba. O show será às 20h, no Teatro Luiz Mendonça (Parque Dona Lindu), com ingressos a R$ 40 e R$ 20. Entradas para Dorinha, meu amor custam R$ 60 e R$ 30 (meia). O preço do ingresso das demais atrações é de R$ 30 e R$ 15 (meia).
 
Em paralelo
O Espaço Mamulengo (Rua da Guia, 211, Bairro do Recife) vai receber o espetáculo Confissões urbanas, da Cia. de Teatro Omoiós. O espetáculo é baseado nos contos Tô viva, Tereza!, É breve o testamento da miséria e Dois nós na gravata, de Rômulo César Melo, além do texto Entrevista de emprego, de Victor M. Sant’Anna. Ingressos: R$ 10 e R$ 5 (meia). Informações: 99121-2173.