VIVER

PRATELEIRA » Peças de mulheres guerreiras em livro

Publicação: 13/01/2018 03:00

Pesquisadora da mulher, dos arquétipos femininos e dos feminismos, a escritora, dramaturga, diretora e atriz Luciana Lyra persegue o tema nos palcos, nos livros e na academia. A pernambucana radicada em São Paulo lança hoje, na Livraria Cultura do Paço Alfândega (Rua Madre de Deus, s/n, Recife Antigo), às 16h, o livro Dramaturgia Feminista: Fogo de Monturo & Quarança (Giostri-SP, R$ 40), no qual reúne dois espetáculos protagonizados por personagens guerreiras concebidas a partir de práticas pedagógicas batizadas de artetnografia e mitodologia em arte.

Fábula de Moturo, de 2014 é uma fábula dramatúrgica. Na trama, Fátima, herdeira de engenho, muda-se para a capital e se envolve com o movimento estudantil. Ela participa das lutas contra a ditadura em favor da justiça e da liberdade. Repressão, feminismo e ideais de esquerda são temas abordados na obra, selecionada como finalista do Concurso de dramaturgia feminina 2015, no projeto La Scrittura Della Differenza, da italiana Compagnia Metec Alegre.

Dois anos depois, surgiu Quarança, inspirada pelas trajetórias e impulsos das próprias atrizes-criadoras, pelo intrigante personagem Diadorim, de Grande sertão: Veredas, de João Guimarães Rosa, e por Aracy Guimarães Rosa, esposa do escritor brasileiro, inspiração para a obra e secretária do consulado brasileiro na Alemanha que concedeu centenas de vistos para judeus durante o nazismo. A protagonista é Rosa Ararim, que vive em um vilarejo ocupado por jagunços, Alereda, no qual as mulheres são violentadas, mortas e quaradas ao sol.

Blitz
Eles sabem se amar há mais de três décadas

Banda precursora do Rock Brasil (BRock), a Blitz surgiu em 1982, originada da trupe teatral carioca Asdrúbal Trouxe o Trombone e estourou  após Você não soube me amar, uma mistura de pop rock e samba, que trazia na letra a história de um romance juvenil com ares de história em quadrinhos.

Para celebrar os 35 anos, a banda lançou o DVD Blitz no Circo Voador (Deck Disc, R$ 35). O registro foi feito pela formação que está junta há 14 anos: Evandro Mesquita (vocal, guitarra e gaita), Billy (teclados), Juba (bateria), Rogério Meanda (guitarra), Cláudia Niemeyer (baixo), Andrea Coutinho e Nicole Cyrne (backing vocal). O encontro tem participações de Paralamas do Sucesso, Roberto Frejat, Zeca Pagodinho, Seu Jorge, Sandra de Sá, Alice Caymmi e MC Cert, Dadi Carvalho, Andreas Kisser, George Israel e Arnaldo Brandão.

Confira!

Maneva
Clipe para música de oito anos

A banda paulistana Maneva lançou um clipe, com direção de Rodrigo Giannetto, para a música Pisando descalço, gravada originalmente em disco de 2009. A faixa soma 12 milhões de acessos no Spotify e 43 milhões no YouTube.

Lançamentos: literatura

Costumes da vida colonial

Obra referencial para os estudos sobre a escravidão, A paz das senzalas (Unesp, 216 páginas, R$ 42), de Manolo Florentino e José Roberto Góes, ganha nova edição. A pesquisa sobre o período colonial amplia a compreensão da vida cotidiana e costumes dos negros escravos, através de correspondências, arquivos policiais, da Igreja Católica, relatos de viagem, testamentos e inventários.

Sade além da fama libertina

Famoso por obras com atos sexuais e torturas, Sade também escreveu histórias populares, com refinamento e composição dramática de primeira linha. Em busca de reconhecimento literário e para se afastar de fama de libertino, o autor escreveu 11 novelas. Cinco estão reunidas em Novelas trágicas (Carambaia, 328 páginas, R$ 104,90), com tradução de André Luiz Barros.