VIVER

Enquanto isso, no Cais da Alfândega O Rec-Beat reúne 24 atrações na 23ª edição, entre artistas da cena musical nacional e internacional

MATHEUS RANGEL
matheus.rangel@diariodepernambuco.com.br

Publicação: 10/02/2018 03:00

Consolidando o caráter experimental pelo qual é conhecido, o Rec-Beat exibe, nesta 23ª edição, um dos line-ups mais diversificados desde que foi concebido. A programação totaliza 24 atrações, divididas entre nomes nacionais, internacionais e consagrados entre o público pernambucano, fazendo jus ao trono de principal e, talvez, mais importante palco alternativo da folia no estado. Os shows - que ocorrem a partir deste sábado até a terça-feira de carnaval, sempre a partir das 19h30 - prometem passear entre os toques eletrônicos do brega-funk e as batidas cadenciadas do rap, passando pela contagiante música latina e o axé reinventado.

O pernambucano MC Tocha encabeça a programação deste sábado, ocupando um espaço preterido aos artistas do brega recifense nas demais grades de shows públicos promovidos pelo governo no carnaval. O artista fará tremer o palco montado no Cais da Alfandega, no Recife Antigo, com os hits emplacados. Ele divide a noite com a cantora capixaba Ana Mulller, o cantor Daniel Peixoto, do Ceará, a dupla pernambucana Diomedes Chinaski & Luiz Lins e a DJ alemã Ipek.

O espanhol Javier Diez-Ena levará ao palco, neste domingo, suas experimentações a partir da música eletrônica, mesma noite em que a baiana Larissa Luz se apresenta. Ex-Araketu, ela refuta o rótulo de “música alternativa” por acreditar que os artistas de fora do mainstream estão ganhando destaque. “Acho, inclusive, que estamos ocupando um espaço bem grande. Deixando de sermos alternativa para sermos protagonistas da música brasileira”, argumenta. O rapper cearense Don L é outro destaque. Ele traz ao Recife o show Roteiro para Aïnouz vol. 3.

A segunda-feira reserva três performances especiais. Uma delas é da banda goianiense Carne Doce, que já esteve na cidade em outros eventos e aguardava a oportunidade de tocar no Rec-Beat. “"É uma marca conhecida nacionalmente, que já existia antes mesmo de eu começar a cantar”, exalta Salma Jô, vocalista do grupo. No show que fará no Recife, o terceiro na cidade, além do repertório do disco Princesa (2013), o público poderá conferir uma faixa inédita do novo CD, que ainda não foi batizado, mas que está sendo chamado temporariamente de Comida amarga pela banda. “Tem uma fase mais dark, mais sombria”, garante a cantora.

O trio argentino Fémina tem como base a musicalidade latina e dançante para letras empoderadas e políticas. Elas se apresentam depois de Carne Doce e antes da baiana Xenia França, responsável por trazer ao palco o repertório do disco mais recente, autointitulado. Quem fecha a noite é Johnny Hooker, com seu Coração (2017). Será o segundo show aberto ao público do pernambucano para apresentar o novo disco na cidade natal.

O responsável por encerrar a programação é Erasmo Carlos, na terça-feira, ao lado dos pernambucano Otto e Romero Ferro, que apresentará o projeto Frevália, com as participações de Michelle Melo, Monique Kessous e Natália Matos.

Programação

Sábado


19h30 - DJ Ipek (Alemanha/Turquia)
21h00 - Ana Mulller (ES)
22h00 - Daniel Peixoto (CE)
23H10 - Diomedes Chinaski & Luiz Lins (PE)
00H30 - MC Tocha (PE)

Domingo

19h30 - DJ Flavya (Estados Unidos)
20h00 - Arrete (PE)
21h00 - Lucas Estrela (PA)
22h00 - Javier Diez-Ena (Espanha)
23h10 - Don L (CE)
00h30 - Larissa Luz (BA)

Segunda-feira


19h30 - DJ Grace Kelly (Brasil/Alemanha)
20h00 - João do Pife e Banda Dois Irmãos (PE)
21h00 - Carne Doce (GO)
22h00 - Fémina (Argentina)
23h10 - Xenia França (BA)
00h30 - Johnny Hooker (PE)

Terça-feira


19h30 - Worm Disco Club (Inglaterra)
20h00 - Frevália (PE)
21h00 - Rimas & Melodias (SP)
22h00 - Black Devil Disco Club (Live) (França)
23h10 - Otto (PE)
00h30 - Erasmo Carlos (RJ)