Ciência e Saúde

Existe água até mesmo no Sol Cientistas pernambucanos decifram formação da molécula da água encontrada no astro. Estudo pode gerar conhecimento sobre manchas solares

Carol Sá Leitão
Especial para o Diario
local@diariodepernambuco.com.br

Publicação: 14/01/2017 03:00

Antônio Carlos Pavão e Bruno Leite ressaltam valor das informações descobertas (Julio Jacobina/DP )
Antônio Carlos Pavão e Bruno Leite ressaltam valor das informações descobertas
Os professores Antônio Carlos Pavão, da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), e Cristiano Bastos e Bruno Leite, da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), descobriram que a água presente na superfície do Sol, em forma de plasma, tem estrutura molecular diferente da encontrada na Terra. A pesquisa pode ajudar a entender melhor as chamadas manchas solares (áreas mais “frias” do astro, nas quais se localiza a água) bem como sua relação com as explosões solares, que interferem nas comunicações por satélite e rádio, e as temperaturas da Terra, já que a pouca atividade das manchas no últimos anos favorece as mudanças climáticas no planeta.

Utilizando dados experimentais, cálculos analíticos e computacionais, o trio chegou à descoberta cerca de 20 anos após a comprovação da existência de água no Sol, ocasionada através de uma pesquisa internacional. O estudo pernambucano, publicado na revista científica Journal of Molecular Modeling, da Alemanha, fez parte da tese de doutorado de Leite. De acordo com Pavão, a água do Sol é formada pelos mesmos átomos da encontrada no planeta, mas sua configuração é diferente. “A molécula de água é formada por três átomos conhecidos: um de oxigênio e dois de hidrogênio. Na Terra, a formação espacial da molécula é triangular. No Sol, essa molécula é linear.”

Essa formação explica o fato de as moléculas de água estarem ligadas ao astro. “Com a forma linear, a estrutura fica mais magnética. Como o Sol possui magnetismo maior que a Terra, a água fica presa”, detalha.

A descoberta ajuda cientistas a entenderem ainda mais o modo como a estrela afeta na vida na Terra. Para Leite, a informação auxilia a explicar a interferência das explosões solares nas comunicações, por exemplo. “As explosões liberam mais energia e atrapalham nas transmissões por satélite e rádio. Nesses períodos, que podem variar de algumas horas a semanas, um piloto pode ter que ficar voando apenas no visual, sem comunicação com a torre de controle”, conta.

Os cientistas contam que a água do Sol tem provável origem na formação do Universo, há cerca de 13 bilhões de anos. Para o professor Pavão, o questionamento que resta é se pode haver vida no Sol.

O astro-rei
  • 2 a 15 milhões de graus Celsius é a variação da temperatra solar, capaz de transformar grossas chapas de metal em nuvens de gás instantaneamente
  • 109 vezes o diâmetro da Terra
  • 1,3 mil vezes mais volume que nosso planeta
  • 332 mil vezes a massa da Terra
  • 150 milhões de quilômetros de distância
  • 8 minutos e 18 segundos é o tempo médio que a luz solar demora para chegar à Terra
  • 92% do volume do Sol são formados por hidrogênio
  • 7% são formados de hélio
  • 1% de outros elementos, como ferro, níquel, oxigênio, silício, enxofre, magnésio e cálcio
As camadas

 (Silvino/DP)
1 - Núcleo

Região central e mais quente, na qual se verificam as reações termonucleares que proporcionam a energia do Sol

2 - Zona de radiação
Região intermediária na qual a energia produzida no núcleo passa na forma de radiação eletromagnética

3 - Zona de convecção
A última camada antes da superfície solar, tem células de curta vida e milhares de quilômetros de extensão

4 - Fotosfera
A mais profunda área da superfície tem temperatura de 5.730°C, e é “fria” para padrões solares

5 - Cromosfera
Visível apenas durante eclipses, a segunda etapa da superfície tem 10 mil quilômetros de extensão

6 - Coroa solar
É a área luminosa que envolve o Sol nos eclipses. Constituída de plasma, tem temperatura de dois milhões de graus Celsius

7 - Mancha solar
São áreas com temperaturas menores, cerca de 3.800°C que podem influenciar no campo magnético do Sol e nas transmisões da Terra

8 - Proeminência
São estruturas que se destacam na superfícies, lembrando enormes labaredas

A água do Sol
  • 3.000ºC é a temperatura dos moléculas encontradas na superfície solar, 33 vezes mais quente que o ponto de ebulição da água
  • 3 átomos formam as moléculas de água presentes no Sol, mas o formato é linear, enquanto que a molécula encontrada na Terra é triangular. A diferença garante maior magnetismo
  • 13 bilhões de anos atrás, a idade aproximada do universo, é o tempo estimado de aparecimento da água
O que são explosões solares
  • Erupções na superfície solar causadas por mudanças repentinas no campo magnético
  • Quando o fenômeno ocorre, gases emergem da superfície e são lançados na coroa solar, onde atingem 1,5 milhão de graus e formam arcos
  • As erupções podem suspender transmissões das rádio e produzir tempestades de radiação de longa duração