Comportamento

Casa de bonecas Pensadas para o público adulto, dolls viraram moda especialmente entre designers, artesãos e fotógrafos, com peças que chegam a R$ 3 mil

reportagem: Laís Leon | curiosamente24h@gmail.com
fotos: shilton araújo

Publicação: 25/11/2017 03:00

Vício nacional que motiva a realização de diversos eventos temáticos, as bonecas japonesas Blythe encontram, no Recife, a maior coleção do Nordeste. O acervo de cerca de 90 peças, em espaço reservado dentro da casa da recifense Sandra Helena Rodrigues, também conhecida pelo nome artístico de Luz SanHelen, chama a atenção de colecionadores e motiva, além de sonhos, planos concretos para a abertura de um museu dedicada às criações e representações das bonecas, uma febre crescente em todo o mundo.

Fabricadas no Japão, elas têm o formato atual desde os anos 2000 e apresentam um toque especial de detalhes, desde os traços do rosto até os acessórios próprios. A história das pequenas notáveis é marcada por um enredo de prejuízos antes de virar sensação. Justamente por isso, seu visual inspira obras artísticas em todo o mundo, enquanto seu caso de sucesso virou referencial empreendedor.