DECORAÇÂO

Aprendendo com leveza e praticidade Espaços destinados para o estudo podem ser decorados de maneira simples, mas com personalidade

Wagner Souza
Especial para o Diario
wagner.antonio@diariodepernambuco.com.br

Publicação: 05/08/2017 03:00

Para muita gente o mês de agosto significa voltar às aulas. Após curtir as férias, chegou a hora de “meter a cara” nos livros para ter bom desempenho seja no colégio, na faculdade, em concursos ou no vestibular. Que o estudo é parte importante e essencial em nossas vidas todo mundo já sabe. Muitos se esquecem, no entanto, que o ambiente escolhido para estudar deve ser o mais apropriado para que o estudante tenha bom rendimento. Os espaços da casa separados para tal função podem ser um cantinho no quarto, ou até mesmo um ambiente completo, que pode servir de escritório.

Especialistas no assunto consideram três aspectos fundamentais para o bom funcionamento dessas áreas: ergonomia, organização e iluminação. “Para aqueles que passam horas a fio dedicados aos estudos, bancadas com medidas adequadas às suas atividades e cadeiras confortáveis, preferencialmente com regulagens de altura e braços, para que se adequem ao usuário, são imprescindíveis”, aponta a arquiteta Érika Moura. As mesas padrões para quem estuda sentado têm, em média, 75 centímetros de altura. “A profundidade varia de acordo com a quantidade de equipamentos necessários como notebooks, tablets etc. Mas, no geral, profundidades a partir de 45 centímetros já são consideradas confortáveis”, acrescenta.

Para a arquiteta Renata Lima, a organização também é essencial para manter o ambiente e a mente em bom funcionamento. “A dica é dispor de móveis para armazenamento do material de estudo como estantes, gaveteiros, prateleiras e armários. Aqueles que dispõem apenas de uma bancada e não de um cômodo inteiro, gaveteiros com rodízios são excelentes opções. Quanto mais próximos os objetos estiverem da bancada de estudos, melhor”.

A iluminação é outra parte imprescindível da decoração no ambiente de estudo. Profissionais indicam que aproveitar a luz natural durante o dia ajuda a economizar energia, além de ser bom para o meio ambiente. “A disposição de bancadas próximas a janelas é uma boa opção para quem deseja aproveitar a iluminação natural durante o dia”, comenta a arquiteta Renata Lima. Já para a noite, o arquiteto Gustavo Barros indica a utilização de luminárias de teto com luz brancas e uma luminária focal para que o estudante consiga direcionar a luz de acordo com as suas necessidades. “Uma excelente opção para a iluminação geral do ambiente são os plafons LED para iluminação difusa, que proporcionam um bom índice de luz, mas mantêm o ambiente bem neutro”, aponta Gustavo.

O arquiteto também diz que as cores são outro fator importante na construção de um ambiente como esse. “É fundamental ter atenção às colorações mais fortes e chamativas que podem tornar o ambiente pesado e tirar a sua concentração facilmente. Por isso, as mais indicadas para esses espaços são as neutras como gelo, branco, areia, azul, bege, amarelo claro e erva-doce”, acrescenta.

A estudante de psicologia Maria Carolina Milet, 22 anos, queria um quarto confortável e que tivesse a ver com a sua personalidade. Ela está sempre decorando a mesa de estudo com objetos diferentes. “Decoração é algo que a gente nunca termina por completo e que precisa ser algo funcional e autêntico. Costumo trocar alguns detalhes do meu quarto com o tempo, sobretudo os utensílios que ficam na minha mesa de estudo. Por causa do Sol, os objetos vão perdendo a cor e, consequentemente, ficam feios”, comenta a estudante.

Há quem tem espaço sobrando em casa e transforma em um escritório aquilo que antes era um quarto. Formada em ciência política com ênfase em relações internacionais, Camila Vila Bela, 24, quer ser aprovada em um concurso para diplomata e reservou um espaço do seu lar para estudar. “Queria uma área em que eu pudesse me concentrar melhor. Tinha um quarto sobrando na minha casa e decidi montar uma sala de estudos. Como não tinha recursos, tive que planejar tudo sozinha”, comenta.

Camila quis decorar o ambiente com algo que a representasse. “Já que eu adoro história e literatura, pintei tudo de branco e escolhi uma das paredes para colocar ilustrações retiradas de livros dessas disciplinas”, diz. “Eu mesma que emassei e pintei a parede. Como havia muitos livros, uma estante seria necessária. Tive a ideia de adaptar um armário velho e transformá-lo em um lugar para guardar os exemplares. A internet me ajudou muito durante o processo. Através de tutoriais no YouTube e em sites especializados no assunto, pude fazer um projeto legal”, acrescenta.

Já a fonoaudióloga Roseane Nascimento e o médico Roberto Nascimento contaram com a ajuda de uma decoradora para criar um espaço de estudo. “Queríamos agregar nosso quarto a um ambiente em que meu marido pudesse fazer suas leituras sossegado, sem incômodos. Optamos por uma profissional que pudesse resolver isso”, comenta Roseane.

A arquiteta Giuliana Zirpoli recomenda ao cliente colocar um ambiente de estudo no quarto de casal só se for realmente necessário. “Trata-se de um espaço para descanso. Termina que, quando um quer estudar, o outro quer dormir. Isso pode gerar uma situação incômoda para ambas as partes”, aponta. Ela diz que, em caso de necessidade, o ideal é tirar proveito de uma outra solução estética. “Uma bancada, por exemplo, pode parecer uma penteadeira com gavetas e um espelho, dando um valor estético ao lugar”, ressalta.

Dicas nota 10
  • Os elementos essenciais nesse espaço são uma bancada ou mesa  com altura de 73 a 75 cm e uma cadeira com altura de 40 a 45 cm;
  • Não é indicado fazer móveis planejados para crianças, pois elas crescem muito rápido;
  • Se na bancada ou mesa tiver um computador, a pessoa deve ficar sentada de modo que a visão do estudante fique para o meio da tela do equipamento;
  • A cadeira indicada para longos períodos de estudos deve ter regulagem de altura, encosto, braços e inclinação;
  • Cadeiras de acrílico são fáceis de limpar e indicadas para períodos curtos de estudos;
  • O ideal é dar preferência às mesas ou bancadas com gavetas laterais para guardar o material de estudos;
  • Para ter mais espaço para guardar os itens de estudo, a dica é instalar uma prateleira embutida na parede e  nichos;
  • A iluminação perfeita para um espaço de estudos deve ter dois focos, um para todo o ambiente e outro sobre a mesa ou bancada. Lembrando que é importante evitar luz direta no computador e nos livros, pois podem ficar muito claros, dificultando a leitura;
  • O espaço de estudos pode ser feito em um cantinho da sala, do quarto ou em um cômodo desocupado, o importante é que ele seja arejado e silencioso.