DIARINHO

Em torno do lanche Piqueniques oferecem oportunidade de lazer para desfrutar de um momento saboroso em família, principalmente nas férias

Emília Prado
Especial para o Diario

Publicação: 15/07/2017 03:00

Pode ter frutas ou bolo de chocolate, brinquedos ou contação de histórias. No parque ou na praia. O piquenique, presente nos desenhos e filmes, é opção simples e gostosa para curtir as férias. A ideia é criar um momento de convivência com família ou amigos, de preferência longe dos celulares e jogos eletrônicos, e estar em contato com a natureza.

Os irmãos Lucas, 6, e Mateus, 8, costumam fazer piqueniques com os pais. O hábito foi alimentado naturalmente pela família e, às vezes, até ocorre de improviso, ao final de um passeio em lugar que tenha espaço para estender a toalha. “Durante o passeio, eles já começam a planejar o lanche que vamos comprar, entendendo que a programação vai terminar em piquenique”, conta Nadja, mãe dos meninos.

A família gosta de ir ao Parque da Jaqueira e ao laguinho da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Lucas, Mateus e os pais nunca levam jogos aos piqueniques, aproveitam para conversar sobre o passeio e o lugar que os cerca. Mateus lembra que o momento é bom para fazer o que não é possível em casa, como andar de bicicleta e de patins com Lucas. “Gosto porque brinco mais com o meu irmão, já que em casa ele prefere ficar assistindo a desenho animado”, revela o irmão mais velho. Lucas concorda que ir ao piquenique é melhor que brincar em casa: “Lá a gente conversa, come e sempre tem espaço para as brincadeiras de correr”.

A pausa na correria é importante para crianças e adultos. Sarita é mãe de Rodrigo, 11, Renato, 8, e Maria Lúcia, 4. Ela faz parte de um grupo de mães dos amigos dos filhos que costuma marcar piqueniques. “Começamos a fazer por incentivo da escola, que promove um piquenique de confraternização ao final de cada semestre. Como a maioria das crianças mora no mesmo bairro, foi fácil pôr em prática”, ela diz.

Os encontros geralmente acontecem aos sábados ou domingos à tarde. Da iniciativa, surgiu o costume de crianças da turma escolherem um piquenique como festa de aniversário. Rodrigo considera importante esse tipo de atividade. “Acho que hoje estamos presos aos jogos eletrônicos. Nos piqueniques dá pra esquecer um pouco e brincar com os amigos”, conta o garoto. O irmão, Renato, destaca o diferencial do ambiente “já que é ao ar livre, tem mais espaço pra correr, jogar bola e andar de bicicleta”.

Recentemente a família fez um piquenique no Jardim Botânico. A caçula, Maria Lúcia, lembra do que tinha na cesta que levaram. “Bolo e refrigerante no lanchinho”, revela. Ela também curte brincar na grama e na areia, quando o programa é feito na praia. Sarita acha que o Recife tem poucos lugares para este tipo de lazer. “Deveria ter mais porque é uma atividade boa para a relação da família e para as crianças, que saem da frente da televisão para brincar ao ar livre”.

Onde fazer

Parque da Jaqueira (Bairro da Jaqueira)

Parque 13 de Maio (Bairro de Santo Amaro)

Parque Santana (Bairro Santana)

Sítio Trindade (Estrada do Arraial, Casa Amarela)

Jardim Botânico do Recife (rodovia BR 232, Curado)

Dicas

Para comer

O ideal é preparar lanches que podem ser comidos com as mãos, como frutas, biscoitos, sanduíches prontos, bolo, torradas, suco e bastante água.

Vale levar:
Bola, pipa, corda, dominó, jogo de cartas ou de tabuleiro, livros de histórias, patins, bicicleta.

Não esqueça:
Guardanapo, álcool em gel, saquinho para lixo, protetor solar, repelente e máquina fotográfica para registrar os melhores momentos.