DIARINHO

Com os motores reaquecidos O mês de agosto marca o recomeço das atividades escolares para a garotada. Descansar e mudar hábitos mantidos durante as férias ajudam a se readaptar à rotina estudantil

Emília Prado
Especial para o Diario
edviver@diariodepernambuco.com.br

Publicação: 05/08/2017 03:00

Agosto começou e, para as crianças, significa volta às aulas. Retorno também da rotina de acordar cedo, estudar e fazer as tarefas. Muitos podem sofrer com a rotina porque se acostumaram à folga das férias, mas não precisa ser assim. O recesso de julho é importante para descansar e passar um tempo com uma agenda mais livre, sem tantos cursos, lições e compromissos. Com as energias renovadas, fica melhor e mais motivador concluir o ano de estudos.

Ana Júlia Nóbrega, de 9 anos, estuda à tarde, mas, mesmo assim, precisou se organizar para acordar mais cedo após o fim das férias. “No primeiro dia, foi muito difícil levantar na hora, porque eu já estava acostumada a acordar mais tarde nas férias”, confessa a estudante. Apesar na dificuldade para se reacostumar com os horários de dormir e acordar, Ana Júlia estava muito ansiosa para brincar na escola e rever os amigos, tanto que arrumou a mochila e deixou tudo pronto um dia antes de as aulas voltarem. Ela sabe que não é a única a ficar animada com o grande dia. “Na primeira semana, a sala fica mais agitada, todo mundo quer contar o que fez nas férias e conversar até na hora da aula”, conta a garota.

Fernanda Luíza, de 9 anos, confessa que não estava tão animada com o fim das férias, mas, quando reencontrou os amigos, relatou uma cena muito parecida com a volta às aulas. “Foi o maior barulho dentro da sala no primeiro dia, todos falando alto e conversando sobre as férias. Nesse dia, fica mais difícil prestar a atenção na professora”, lembra Fernanda, que mesmo com a agitação na classe, conta que no retorno já voltou para casa com atividades de sala. Apesar da euforia de rever os colegas, é importante guardar as novidades para a hora do recreio e manter a mente concentrada no aprendizado.

A psicopedagoga e coordenadora do Colégio Agnes, Thyrza Vilela, conta que os professores compreendem que os alunos voltam num ritmo mais lento, por isso costumam revisar os conteúdos trabalhados antes das férias, que as crianças já aprenderam, para que os “motores” possam se “reaquecer”. Também não se pode esperar que o pique seja o mesmo de antes. “É importante ir voltando ao ritmo da rotina escolar aos poucos. Por exemplo, regularizando as horas de sono, diminuindo o uso dos celulares e eletrônicos e conscientizando que o tempo livre também é para descansar e renovar as energias”, explica Thyrza.

Ela reforça a importância de uma boa noite de sono para melhorar o desempenho nos estudos: “O sono e a aprendizagem estão relacionados. Um estudante que não dorme bem provavelmente terá dificuldade em se concentrar durante as aulas e, assim, tem seu aprendizado prejudicado”. Segundo estudos na área das neurociências, alguns hábitos podem ajudar a dormir melhor e mais rápido, como ir para a cama sempre no mesmo horário, se desconectar totalmente dos aparelhos eletrônicos quando estiver chegando a hora de se deitar e dormir entre nove e 11 horas por dia. Thyrza completa: “É durante o período de sono que se processam as informações que a pessoa recebeu durante o dia, por isso dormir bem é fundamental”.