Educação e Religião

Pluralidade de perfis é um dos diferenciais do grupo

Publicação: 12/08/2017 03:00

Tribos de diferentes motoclubes se reúnem no Motoculto na quadra do Colégio Americano Batista. Diferentemente dos Estados Unidos, onde clubes distintos nunca fazem reuniões, os de Pernambuco se unem para fazer orações. “É um dos poucos trabalhos em relação à vida religiosa que a gente vê que foge das quatro paredes e alcança um nível de pessoas muito rápido”, comentou o pastor Francisco Dias, da Igreja Batista em Campo Grande, que costuma conduzir os sermões.

Segundo o pastor, os cultos promovidos pelo grupo envolvem de proprietários de motos mais simples até donos de revendedoras de motocicletas na cidade. “É justamente esse o diferencial das reuniões”, ressaltou Dias. Além da pregação, todo encontro conta com um lanche de confraternização que é sempre servido ao término do culto.

Sérgio Sodré, 56 anos, já era ligado à Paróquia Anglicana do Espiríto Santo, em Piedade, Jaboatão dos Guararapes, quando conheceu o Motoculto. “Me identifiquei com o grupo na hora. Eu sempre senti a necessidade de ajudar os outros e identifiquei esse ministério como uma possibilidade”, disse Sodré, que integra outro grupo de motociclistas pernambucanos, o Veteran Clube.

O motociclista Arre Albuquerque também frequenta o culto. Integrante do grupo Esquadrão de Cristo, ele diz que viu nas reuniões uma oportunidade para fazer novos amigos e falar de Jesus. “O motociclista é tachado como um cara fechado, mas por meio dos encontros, estamos nos unindo e trocando novas experiências”, completou. O clube do qual ele faz parte também promove encontros religiosos, a Reunião de Oração Dirigida por Amigo (Roda), toda sexta-feira, em Porta Larga, em Jaboatão dos Guararapes.