Educação e Religião

No mundo

Publicação: 03/02/2018 03:00

Em Londres, pais que dirigem até os portões das escolas podem ser multados em 130 libras esterlinas (cerca de R$ 580) depois da criação de um projeto piloto de melhoria da segurança rodoviária e redução da emissão de gás carbônico. Em julho de 2017, o distrito de Croydon se tornou o último da Grande Londres a impor restrições à “corrida até a escola” e se enquadrar na medida que encoraja as famílias a caminhar ou pedalar até as instituições de ensino.

A transformação de Amsterdã, na Holanda, em uma cidade onde o principal meio de deslocamento é a bicicleta foi impulsionada pela mobilização infantil. Um grupo de crianças do bairro De Pijp saiu às ruas para recolher assinaturas contra a presença de tantos carros nas ruas, que as impedia de brincar. A situação foi retratada em um documentário, transmitido na televisão em 1972, e ajudou a criar um ambiente de protestos que levaram à promoção de políticas públicas voltadas ao veículo não motorizado.

Em 2011, foi implementado em Bogotá, na Colômbia, o projeto Pedibus, com o objetivo de mitigar os acidentes no entorno escolar. A estratégia criou rotas seguras para serem percorridas a pé por crianças, entre suas casas e os colégios. Elas saem em grupos de 10 a 15, acompanhadas de adultos e vestindo coletes refletivos, como se estivessem em um ônibus, e vão parando para pegar outros colegas no caminho. O projeto foi desenvolvido nas zonas vulneráveis da capital colombiana.