GASTRÔ

Quem é do mar não enjoa Na forma tradicional, reinventado pelos chefs ou mesmo camuflado em peixe comum, o bacalhau é presença certa na mesa do pernambucano

Publicação: 08/04/2017 03:00

 (fotos: Marlon Diego/Esp.DP )

Há 25 anos, o chef português Jaime Alves criou com a irmã Janina, que também exerce a mesma profissão, só que na Espanha, o Bacalhau JJ, um lombo alto levado ao forno com cebolas e pimentões, batata ao murro e camarões. O prato com as iniciais dos dois filhos homenageando o pai com os ingredientes que ele mais gosta saiu do âmbiente familiar para o público. É servido em versão para duas pessoas no Tribuna Sabores Ibéricos, em Olinda, onde Jaime (foto) exerce a tradição da boa mesa lusitana.

Alimento versátil e que permite várias combinações, o bacalhau à moda portuguesa acabou ganhando um pouco do sotaque pernambucano. Arroz e leite de coco têm o paladar local, mas a tradição continua muito bem representada, principalmente nesta época de Páscoa. A convite do Diario, chefs sugerem receitas para fugir do usual. Com 30 anos de experiência, Davi Barros, da Casa de Bule, em Boa Viagem, ensina até o passo a passo de como transformar o peixe comum em bacalhau caseiro para o almoço do próximo domingo. Heresia? Não para este tipo de pescado que tem muita história.