LUGAR CERTO

Fissura na estrutura Tipos diferentes de rachaduras podem indicar desde pequenas complicações até problemas mais graves

Débora Eloy
Especial para o Diario
debora.eloy@diariodepernambuco.com.br

Publicação: 13/07/2017 03:00

A estrutura de um imóvel requer diversos cuidados. Mesmo depois da casa pronta a atenção deve continuar. A depender de diversos fatores as paredes podem sofrer rachaduras. E isso pode colocar em risco até mesmo a sustentação do local.

Muitas vezes, a rachadura é apenas superficial, mas também pode ser um aviso de problemas mais graves. “Inicialmente é importante fazer a identificação do local em que aparece, depois definir as possíveis causas da tal ocorrência”, afirma o engenheiro da Rio Ave William Palácio.  Apesar de ser um alerta importante, muitas pessoas não conhecem os riscos e, por vezes, não se importam quando descobrem uma rachadura. “Trincas e fissuras costumam ser decorrentes da liberação das tensões suportadas pelo material utilizado”, explica o engenheiro de desenvolvimento técnico da Votorantim Cimentos Bruno Mainardi.

O grande problema é saber quando a trinca é superficial ou quando pode comprometer a estrutura do local. Elas são indicadores de risco, principalmente quando aumentam com o tempo. Rachaduras em elementos estruturais como laje, viga, pilar ou fundação são bem preocupantes. “Essas tensões podem ocorrer por dilatação/retração térmica, estruturas mal projetadas ou em sobrecarga, recalques de apoio, uso incorreto do material, entre outro fatores”, complementa Bruno.

É importante observar a direção e a profundidade das fissuras. Elas podem dar pistas da origem do problema. Rachaduras inclinadas na diagonal e profundas indicam alerta para a estrutura de suporte da casa ou por excesso de peso, por exemplo. No caso do excesso de peso, a complicação pode ser por causa de uma construção de mais um andar na casa ou um peso extra na laje como uma nova caixa d’água. Se isso acontecer a Defesa Civil deve ser acionada.

Porém, o problema não está somente dentro de casa. Causas externas podem colocar em risco a residência. “Obras adjacentes em fase de construção ou reforma, execução de pavimentação de uma rua próxima, onde há presença e trepidação de máquinas pesadas ou alteração de fluxo de veículos em ruas paralelas”, aponta Mainardi.

O reparo, no caso de uma simples fissura, pode ser mais fácil do que se imagina. A aplicação de tintas e selantes flexíveis deve ser capaz de absorver a abertura causada pelas tensões na parede. Porém, quando o problema é motivado por movimentos estruturais, o conserto acaba sendo mais difícil de resolver. Nesse caso são necessárias várias etapas e estudos detalhados.

Para quem deseja construir a casa do zero, Bruno dá a dica de contratar um técnico especializado. “A contratação de um profissional antes da obra começar ajuda a evitar o surgimento de trincas ou fissuras”, aponta.