VRUM

Carro parado problema na certa Julho é mês de viajar. Mas, se for deixar o carro em casa, fique atento às dicas para não causar problemas com o veículo parado

Debora Eloy
especial para o diario
debora.eloy@diariodepernambuco.com.br

Publicação: 13/07/2017 09:00

Julho é o mês das férias, e para quem está saindo, ou até voltando de viagem, trazemos dicas para quem vai deixar o carro em casa. De olho no descanso prolongado, muitas pessoas planejam conhecer novos ares. E para isso acontecer, já providenciam o local desejado, se é possível ir de ônibus ou de avião, a hospedagem e também quem irá cuidar da casa na ausência dos moradores, mas um fator importante é se preocupar com quem irá ligar o carro que ficou em casa. Isso é fundamental para não ter dor de cabeça na volta. Afinal, deixar o veículo parado por muito tempo pode acarretar problemas que poderiam ser evitados se o automóvel fosse ligado de tempos em tempos.

Existem aqueles componentes que sofrem com pouco tempo parado e aqueles mais resistentes. O DP Auto separou os principais e o que pode ser feito para evitar dores de cabeça.

A bateria é a campeã de problemas quando o carro fica muito tempo parado. “Ela pode descarregar se o veículo ficar mais de um mês sem funcionar e, em alguns casos, não pode nem ser recarregada”, esclarece o chefe de oficina da Disnove Genildo Justino. Esse foi o principal contratempo enfrentado pelo estudante Pedro Martins, 26. “Meu problema começou com defeitos na sonda, motor de partida e a bateria arriada. Como o conserto ficou muito caro, meu Astra está parado desde então”, comenta.

Mas não é só a bateria que atrapalha os motoristas, por falta de utilização, os pneus também podem sofrer avarias. “As rodas correm o risco de ficarem deformadas, em um longo prazo, cerca de um ano, de forma irreversível”, explica Genildo.

A atenção deve ser dobrada também com os fluidos do carro. A umidade na câmara onde se encontram os óleos do veículo podem contaminar o componente. “É importante fazer uma análise em uma oficina para não comprometer outros equipamentos do veículo”, afirma Justino. A parte elétrica também pode ser vítima. “Alguns fios podem colar, e só a substituição pode resolver”, comenta o especialista. Mas não são só os fios que correm esse risco. Uma parte importante para a segurança do veículo também pode ficar comprometida. “Se o veículo estiver parado por mais de seis meses é importante revisar os freios, pois eles também podem fundir”,esclarece.

Não é recomendado deixar o carro exposto ao sol e à chuva por muito tempo. Caso isso aconteça, é importante cobri-lo com uma capa automotiva, para evitar arranhões e corrosões na pintura. Um lembrete importante que Genildo faz é em relação ao combustível que fica dentro do tanque. “Ele precisa ser substituído, assim como os demais fluidos do carro para não comprometer os outros componentes veiculares”, finaliza. Então, deixar o veículo sob os cuidados de alguém confiável pode ser um plano ideal na hora de passar aquele período fora de casa.

“Meu problema começou com defeitos na sonda, motor de partida e bateria arriada”
Pedro Martins, estudante