VRUM

Explore o que está embaixo do capô Atenção ao nível de óleo do motor e do reservatório de água do radiador, por exemplo, pode evitar prejuízos com o seu carro. Siga as dicas.

Douglas Fernandes
Especial para o Diario
douglas.alex@diariodepernambuco.com.br

Publicação: 07/12/2017 03:00

Você sabe verificar os itens principais do motor do seu carro? Faz isso regularmente? Se as duas respostas forem positivas, você é cauteloso e deve saber bem que esse seu hábito pode evitar problemas na estrada e custos com uma oficina. Portanto, a verificação do óleo do motor, da bateria, do óleo do freio, dos reservatórios de água do motor, do limpador do para-brisa e de gasolina são ações que fazem parte da sua rotina. Mas, se as respostas forem um não, não se preocupe porque o DP Auto vai te ajudar nessa empreitada e você verá que não é nenhum quebra-cabeças. Antes de prosseguirmos, é importante estar atento a sua segurança ao fazer uma inspeção particular no veículo para não acontecerem acidentes. Algumas pessoas têm receio de mexer no motor por conta de possíveis queimaduras ou choque-elétrico. Não precisa ter medo. Apenas, tenha cuidado e só comece a  verificar os itens básicos do motor com o carro frio.

Para nos ajudar nas dicas, contamos com a ajuda do chefe de oficina Ronald Vasconcelos.

Nível do óleo do motor
O principal problema ligado a esse item é popularmente chamado de “bater o motor”O óleo deve estar entre o mínimo e o máximo necessário. Você pode conferir o nível puxando uma vareta medidora e olhando as marcações presentes na sua haste. Lembre-se, essa verificação deve ser feita sempre com o carro frio e desligado. Com o veículo quente, não é possível saber o nível real de óleo. Esse fluido nos carros de hoje servem para durar 10 mil quilômetros, porém é recomendado uma troca com 5 mil quilômetros rodados.  

Nível de água do radiador
O chefe de oficina alerta para nunca checar esse item com o carro quente porque existe o risco de queimaduras já que o reservatório funciona como uma “panela de pressão”. E o volume de água deve ficar na metade. A cada 15 dias, você deve verificar o nível do reservatório. A cada 40 ou 50 mil quilômetros, deve ser feita a troca do fluido com um novo aditivo de motor porque com o tempo ele vai perdendo suas propriedades de refrigeração.

Nível do óleo do freio
Esse fluído, de acordo com o especialista, tem problema raramente. O nível pode baixar quando ocorre um vazamento, mas o motorista vai logo sentir os sintomas como freio “fofo”, ou seja, a frenagem não será eficiente. Mas, o natural é que o volume do fluído baixe com o desgaste das pastilhas de freio. Quando isso ocorre, o óleo vai ocupar o espaço deixado pelas pastilhas que ficam ficam finas e o nível ficará no mínimo. Mas, Vasconcelos ressalta que “isso não significa que o óleo foi embora”. Com a troca das pastilhas de freio, o fluido vai subir. O óleo tem que ser trocado a cada dois anos por conta da umidade do ar que afeta a sua eficiência.   

Bateria
Ronald Vasconcelos explica que as baterias não podem passar por manutenção. Ou seja, não é possível ver nível de fluído. Apenas, pode ser observado se o equipamento está com vazamento. Caso seja vista um crosta  branca, é sinal de que a bateria deve ser trocada.