MUNDO

Macron e Le Pen seguem na disputa Quase 70% dos franceses foram às urnas ontem para escolher o futuro presidente da França em eleição com resultado já histórico para o país

Publicação: 24/04/2017 03:00

Candidato do partido Em Marcha! é o favorito de acordo com as pesquisas eleitorais (PHILIPPE HUGUEN )
Candidato do partido Em Marcha! é o favorito de acordo com as pesquisas eleitorais
O candidato de centro e pró-europeu Emmanuel Macron e sua adversária, a ultradireitista Marine Le Pen, disputarão, em 7 de maio, o segundo turno das presidenciais francesas, nas quais ele é favorito, após o castigo infligido nas urnas, neste domingo, aos partidos tradicionais.

O resultado da primeira rodada é implacável. É a primeira vez em quase 60 anos que a direita estará ausente do segundo turno e a primeira que não terá representantes dos dois grandes partidos que dominam a política francesa em meio século: os socialistas do presidente François Hollande e os conservadores liderados por François Fillon.

Com 96% das urnas apuradas, Macron obteve 23,89% dos votos, enquanto Le Pen teve 21,43%. O candidato da centro-direita François Fillon recebeu apoio de 19,95% dos eleitoes. Em quarto lugar, ficou o representante da extrema-esquerda Jean-Luc Mélenchon, com 19,54%. Fillon e o socialista Benoît Hamon, que teve 6,35% dos votos, já declararam apoio a Macron.

Aos 39 anos e à frente de um novo partido, o Em Marcha!, Macron ganhou a primeira etapa de uma disputa arriscada, sem nunca ter se submetido ao veredicto das urnas. Ele não se considera nem de esquerda, nem de direita. “Em vosso nome, encarnarei (...) a voz da esperança para nosso país e para a Europa”, declarou Macron, que se declara o presidente dos patriotas frente à ameaça dos nacionalistas.

“Os franceses expressaram seu desejo de renovação”, declarou o ex-banqueiro. Duas pesquisas realizadas ontem à noite o apontam como o vencedor do segundo turno por ampla maioria. O Ipsos Sopra Steria lhe atribui 62% dos votos contra 38% para Le Pen, e o Harris Interactive, 64% contra 36%. Hollande, de quem foi ministro da Economia, telefonou para cumprimentá-lo. Marine Le Pen, de 48 anos, ficou exultante de alegria diante do que chamou de “resultado histórico” e “uma etapa superada” para o partido Frente Nacional (FN), com o qual repetiu a façanha de seu pai 15 anos depois. Os franceses terão que escolher entre a “globalização selvagem”, disse ela, referindo-se a Macron, e “a grande alternância”, como define seu programa.

Toda a classe política francesa, de direita e de esquerda, pediu que se detenha a ultradireita, como Fillon, que disse que Le Pen só traria “desgraça”, “divisão” e “caos”. Qualquer um dos dois fará história: Macron como o presidente mais jovem e Le Pen como a primeira mulher a chefiar o Estado francês.

Macron e Le Pen terão agora 15 dias para convencer os 47 milhões de eleitores de que são a melhor opção para comandar o país. O vencedor logo terá que criar alianças visando as legislativas de junho, que ocorrem em dois turnos, e que até então favoreceram os partidos tradicionais. As eleições são consideradas cruciais em um país com uma economia golpeada pelo desemprego e por um crescimento que não avança desde a crise de 2008.

Uma vitória de Macron representaria um alívio para a União Europeia (UE): ele fez uma campanha com um programa abertamente pró-europeu e liberal. A Alemanha, voz ativa do bloco, se declarou feliz com o resultado. O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, o saudou em um tuíte no qual lhe desejou “sorte para o futuro”. A chefe da diplomacia europeia, Federica Mogherini, também comemorou. Se Marie Le Pen vencer, ao contrário, virá uma grande época de incertezas para a UE, devido à sua defesa da saída do euro, que poderia representar um golpe fatal para um bloco já debilitado pelo Brexit.

Quem são

Emmanuel Macron

  • Partido: Em Marcha!
  • Idade: 39 anos
  • Trajetória política: Ex-banqueiro, foi ministro da Economia, Indústria e Informática durante a presidência de François Hollande. Lançou o movimento Em Marcha! em abril do ano passado e, em agosto, deixou o governo.
  • Propostas: Desconhecido do mundo político até ser nomeado ministro, rejeita os rótulos de direita e esquerda. Embora seja criticado pela pouca experiência, conseguiu se impor como o principal adversário de Le Pen. Macron defende a aceleração da integração da zona do euro e a reforma da União Europeia. Pretende dar incentivos fiscais para que empresas gerem empregos e ampliar o acesso ao seguro-desemprego.
Emmanuel Macron | Marine Le Pen (Fotos: ERIC FEFERBERG)
Emmanuel Macron | Marine Le Pen


Marine Le Pen
  • Partido: Frente Nacional
  • Idade: 48 anos
  • Trajetória política: É eurodeputada desde 2004 e preside a Frente Nacional (FN, extrema-direita) desde 2011. Na eleição presidencial de 2012, teve 17,9% dos votos.
  • Propostas: Com um discurso anti-imigratório e antieuropeu, apresenta-se como a candidata “antissistema”. Está envolvida em um caso de empregos fantasma no Parlamento Europeu, mas se nega a falar à Justiça antes das eleições. Além de defender a saída da França da zona do euro, quer convocar um referendo sobre o rompimento com a UE. Apoia um afastamento da Otan e a aproximação com a Rússia. Le Pen quer tornar o sistema de imigração mais rígido e exigir que refugiados façam pedido de asilo no país de origem.