MUNDO

Geladeira causou tragédia Incêndio que matou 79 pessoas começou no eletrodoméstico de um apartamento, mas a polícia não descarta chance de homicídio

Publicação: 24/06/2017 03:00

O incêndio da Torre Grenfell de Londres, que deixou 79 mortos, começou na geladeira de um apartamento, anunciou a polícia britânica, que não descarta a possibilidade de apresentar acusações de homicídio no caso. “Temos evidência pericial de que o fogo não começou deliberadamente. O fogo começou em uma geladeira”, disse a comandante da polícia Fiona McCormick. De acordo com a polícia, trata-se de um um modelo de geladeira que nunca foi objeto de um recall de mercado e que está sendo submetido a novos testes pelo fabricante. Após a revelação de McCormack, o governo ordenou análises independentes deste modelo de geladeira.

Apesar da informação sobre a origem, a rápida propagação das chamas foi atribuída ao revestimento do edifício. McCormack disse que nem a cobertura nem o interior do revestimento “passaram nos testes de segurança”. “Estamos considerando todos os delitos criminais, de homicídio para cima”, disse a chefe de polícia.

Mas ela explicou que as autoridades examinam o “papel de todas as empresas envolvidas na construção e reforma do edifício”, além das possíveis infrações das regulamentações de segurança e de combate a incêndios. O revestimento foi instalado como isolante e com o objetivo de embelezar o edifício, durante uma reforma da torre em 2016. O governo da primeira-ministra Theresa May calcula, com base em dados das administrações locais, que a Inglaterra tem 600 edifícios com o mesmo tipo de revestimento inflamável.

McCormick explicou que todos os cadáveres foram retirados, mas expressou o temor de que o balanço supere os 79 mortos porque talvez o prédio tivesse imigrantes em situação irregular, dos quais as autoridades não tinham conhecimento. (AFP)