POLÍTICA

Lula vai para a linha de frente em último ato Petista vai se incorporar à marcha que será realizada hoje, véspera do julgamento, em Porto Alegre

Publicação: 23/01/2018 03:00

Contrariando a orientação de sua assessoria jurídica, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva estará em Porto Alegre hoje, véspera de seu julgamento pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4). Lula participará de marcha que sairá às 18h da Esquina Democrática, no centro da cidade, dando início a uma vigília pela sua absolvição.

Amanhã, o ex-presidente terá sua apelação julgada pelo TRF-4. Lula foi condenado pelo juiz Sérgio Moro em julho de 2017 a 9,5 anos de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro. Em caso de condenação em segunda instância, o ex-presidente fica inelegível pela Lei da Ficha Limpa, mas pode se manter na disputa também por meio de recursos.

O petista informou a decisão por telefone à presidente nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PR), ontem. A pedido do Instituto Lula, ela e o vice-presidente do partido Alexandre Padilha fizeram questão de ressaltar que Lula deixará a cidade ainda hoje.

Também para evitar a impressão de afronta ao Judiciário e incitação à violência, Lula pediu que transmitissem a informação de que sua viagem a Porto Alegre representa um “gesto de carinho”.

Pesou para a decisão o apelo de petistas para que prestigiasse os militantes que viajaram em 500 caravanas. Segundo Padilha, Lula foi amadurecendo a ideia ao constatar a mobilização nacional e internacional em seu apoio.

“Multiplica muito o entusiasmo a vinda de Lula. Teremos mais mobilização. Não aceitaremos calados a violência à democracia brasileira”, disse o vice-presidente do PT. “O dia foi vitorioso. Muita gente questionava nosso direito de se manifestar.”

Neiva Lazzarotto, dirigente gaúcha da Frente Povo Sem Medo, disse que, já que “o julgamento de Lula é político”, sua vinda é legítima. “Fortalece toda agenda partidária contra as reformas (trabalhista e previdenciária).”

Pela manhã, chegaram as primeiras caravanas de militantes em apoio a Lula. Os manifestantes organizaram uma marcha da ponte do lago Guaíba até o Anfiteatro Pôr-do-sol, onde a militância está acampada. A Frente Brasil Popular estima que cinco mil manifestantes estejam na cidade.

PRESCRIÇÃO
Paralelamente ao pedido de absolvição, em memoriais no âmbito de apelação contra pena no caso tríplex, advogados do ex-presidente Lula pediram aos desembargadores do Tribunal da Lava-Jato que reconheçam a prescrição dos supostos crimes de lavagem de dinheiro e corrupção atribuídos ao petista. Os defensores sustentam o esgotamento do prazo para o Estado punir Lula por delitos que, segundo a acusação, teriam ocorrido em 2009. Em memorial ao tribunal, a defesa reivindicou ainda o direito de recorrer em liberdade, caso a sentença de Moro seja confirmada pelos desembargadores e atacam a atual convicção da Suprema Corte. (Da redação com agências)