Uma queda inevitvel para os clubes Em meio paralisao do futebol, Santa Cruz, Sport e Nutico viram nmero de scios carem no ltimo ms

Joo de Andrade Neto
joao.neto@diariodepernambuco.com.br

Publicao: 04/04/2020 03:00

O futebol, assim como o restante do mundo, vem sofrendo com as consequências econômicas da pandemia do novo coronavírus. Com todas as competições paralisadas por tempo indeterminado, é inevitável começar a contabilizar quedas de receita. Porém uma delas vem preocupando de forma especial os clubes, justamente por ser vista como uma das poucas tábuas de salvação financeira ainda existentes. No caso, a diminuição no quadro de sócios. Que já atinge também Santa Cruz, Náutico e Sport.
Do trio de ferro, a situação mais traumática possivelmente é a do Tricolor, que por estar na Série C, ao contrário dos rivais, não tem direito à cota de televisionamento do Campeonato Brasileiro. Caso não haja nenhuma suspensão por conta das suspensões das competições, Sport (Série A) e Náutico (Série B), começam a receber essa receita a partir do próximo mês. 
Segundo o diretor de marketing coral, Guilherme Leite, nestes últimos dias, o Santa Cruz perdeu dois mil dos pouco mais de cinco mil sócios existentes em seu banco de ativos. Decréscimo, segundo o dirigente, responsável por uma perda de R mil líquidos nas receitas do clube. 
“Nós perdemos muito com essa crise. Perdemos dois mil sócios neste período e seguindo a tendência, vai cair mais. Hoje o Santa Cruz tem apenas 3 mil sócios titulares adimplentes. O clube já chegou a ter 10 mil sócios, entre titulares e dependentes. Com esse decréscimo grande, perdemos R$ 100 mil líquidos. Estamos ligando diariamente para todos os sócios, um a um, e fazendo divulgação”, detalhou o dirigente.
Náutico
Porém, mesmo com um aporte financeiro previsto das cotas de televisão, a perda financeira com o decréscimo no número de associados também é sentido pelas diretorias de Náutico e Sport, Tanto que durante a semana o Alvirrubro usou as suas redes sociais para tentar sensibilizar o associado timbu a manter a sua mensalidade em dia. A postagem enfatizou que, em março, a média foi da perda de três sócios por hora. O que resultaria no afastamento de 2.232 torcedores no período. Um prejuízo de R$ 90 mil.
O vice-presidente de marketing do clube, Luiz Felipe Figueiredo, no entanto, destacou que essa diminuição do quadro social do Náutico vem ocorrendo já há algum tempo. Porém, com a paralisação do futebol, há o risco desse problema se acentuar.
“Essa movimentação da pandemia bateu exatamente com os seis meses do associado que parou de pagar sua mensalidade ao final da campanha na Série C do ano passado. A publicação tem como intuito mostrar ao torcedor que parte deles parou de pagar desde o fim da Terceira Divisão e outra parte atrasou os pagamentos deste mês de março”, pontuou. No momento, de acordo com o site Nação Timbu, o Náutico conta com 12.785 sócios

Sport
No Sport, o apelo para que o associado siga ajudando o clube veio em forma de um e-mail endereçado aos sócios e assinado pelo próprio presidente do clube, Milton Bivar. Desde o início da paralisação, o clube já fez algumas ações para tentar conter a perda de associados. Inicialmente retirou a taxa on-line de adesão. Depois, lançou uma promoção em que as mulheres tinham garantido 70% de desconto em qualquer categoria.
Mesmo assim, o número total de sócios caiu de 37.745 rubro-negros no início de março para 34.897 ao final do mês.  “Diante da redução da receita pela paralisação dos jogos, o clube partilha com seu quadro social a necessidade de continuar suas obrigações com funcionários e atletas neste difícil cenário e pede, na medida do possível, que os associados continuem com sua contribuição mensal. Estes pagamentos são de grande valia para o enfrentamento desta crise financeira”, diz o mandatário rubro-negro, em trecho da carta.
 
Quadro de sócios 
dos clubes

Santa Cruz*

Início de março: 5.000
Final de março: 3.000

Náutico

Início de março: 15.017
Final de março: 12.785

Sport 

Início de março: 37.745
Final de março: 34.897

*estimativa