SUPERESPORTES

Contando os dias Náutico acelera o ritmo das obras e, apesar das chuvas, mantém para o fim de maio a previsão para a reinauguração dos Aflitos

João de Andrade Neto e Marina Maranhão
esportes.pe@dabr.com.br

Publicação: 20/04/2018 03:00

A contagem regressiva segue a todo vapor. Apesar das chuvas que caíram no Recife nos últimos dias atrapalharem o andamento das obras, o prazo dado pela diretoria do Náutico para a reinauguração do estádio dos Aflitos segue mantido para o fim de maio. Para isso, após o plantio do gramado, alguns pontos primordiais da reforma serão iniciados nos próximos dias.

Ontem, a empresa responsável pelo novo alambrado visitou os Aflitos para vistoriar a nova mureta que receberá as placas de acrílico. Caso aprovada, a previsão é que o novo cercado deva começar a ser instalado em 15 dias. Além disso, já está em fase de construção as duas novas rampas de acesso à arquibancada central. O setor será responsável pela maior carga de público, com capacidade para 6.500 pessoas.

Além disso, a reforma dos vestiários também já foi iniciada. No novo Aflitos, não haverá mais túnel para a entrada dos times, com o Náutico tendo acesso ao gramado por uma passagem que ficará no meio do setor das sociais, todos com cadeiras, que também devem começar a ser colocadas no início de maio. Em paralelo a isso, também está sendo trabalhada a nova saída da torcida desse setor, entre as piscinas e as quadras do clube social.

Com relação à iluminação, os refletores utilizados para os primeiros jogos foram trazidos do centro de treinamento do clube e já foram devidamente testados. Com o passar do tempo, no entanto, a ideia é trocar essa iluminação por outra de LED.

“As chuvas atrapalham, é lógico. Mas a nossa previsão está mantida para o final de maio. Em linhas gerais, esses são os pontos necessários para reabrir o estádio para jogos oficiais. A nossa ideia é que quando acabarem os jogos da Série C, outras partes do projeto sejam retomadas. Os refletores, por exemplo, estavam ociosos no CT. Mas apesar de novos, a nossa ideia é substituí-los por outros de LED”, explicou Luiz Felipe Figueiredo, presidente da comissão paritária do Náutico responsável pelas obras. “Todas as obras já realizadas seguem a adequação do novo projeto”, completou.

Inauguração
Com a previsão para o final de maio, o retorno aos Aflitos se dará com a Série C do Campeonato Brasileiro em andamento. Como a ideia do Náutico é realizar um amistoso para marcar a volta, a fim de angariar recursos para o restante das obras, a diretoria terá que solicitar à CBF o adiamento de um dos jogos do time pelo Nacional. No dia 27 de maio, o Timbu recebe o Globo-RN, pela 7ª rodada, em partida inicialmente agendada para a Arena de Pernambuco.

A intenção da cúpula alvirrubra é convidar um clube sul-americano para o jogo festivo. O clube, inclusive, já iniciou a venda de vouchers para a partida, nos valores de R$ 100, que serão trocados por ingressos assim que for definida data, horário e adversário. Esse será o menor valor cobrado para a partida de abertura. Paralelamente a isso, o torcedor pode seguir contribuindo com as obras pelo site da campanha Voltando pra Casa.

O Náutico nos Aflitos

Desempenho do time

  • 1.768 jogos
  • 1.138 vitórias (64,37%)
  • 336 empates (19%)
  • 294 derrotas (16,62%)
  • 70,7% de aproveitamento (Competições oficiais e amistosos)
Os 10 maiores públicos

31.613
16/08/1970
Náutico 1 x 0 Santa Cruz
Campeonato Pernambucano

31.061
21/07/1968
Náutico 1 x 0 Sport
Campeonato Pernambucano

29.891
26/11/2005
Náutico 0 x 1 Grêmio
Série B

28.022
04/12/1997
Náutico 0 x 2 América-MG
Série B

22.177
05/07/2001
Náutico 0 x 1 Santa Cruz
Campeonato Pernambucano

21.121
21/04/2001
Náutico 0 x 1 Sport
Nordestão

20.699
18/11/2006
Náutico 2 x 0 Ituano
Série B

20.506
11/12/1974
Náutico 1 x 0 Santa Cruz
Campeonato Pernambucano

20.100
02/12/2012
Náutico 1 x 0 Sport
Série A

19.880
21/10/2007
Náutico 1 x 0 Corinthians
Série A

A nova capacidade
  • 19.600 pessoas
  • Arquibancada leste: 6.500
  • curva sul: 4.800
  • cadeiras/sociais: 3.700
  • curva norte: 3.400
  • visitante: 1.200
Saudosismo e expectativa
 
São quase 13h e o dono do Bar Alvirrubro, estabelecimento que fica nas dependências dos Aflitos, Normar Bortoleti, 65 anos, já não tem tanto trabalho para atender todos os clientes. Americano, como é conhecido pela torcida do Timbu, é uma das figuras emblemáticas do clube. Conhece quase todos os remanescentes pelo nome, afinal de contas são quase 20 anos comandando o estabelecimento e os poucos clientes que restaram são fiéis. Assumiu o bar em 1998. “Os Aflitos são a minha vida, e o que mais gosto é da torcida. Ela é fantástica, é a minha família”. Ele é um dos alvirrubros que “vivem” nos Aflitos e agora comemoram o retorno do clube a sua casa.

Até a mudança do Náutico para a Arena de Pernambuco, quando passou a mandar seus jogos em São Lourenço da Mata, o movimento no bar caiu drasticamente. Os torcedores, segundo Americano, chegavam antes das partidas e ficavam até depois, independentemente do resultado. Sem confrontos no Recife, o estádio ficou vazio e o restaurante seguiu o mesmo caminho. “O bar me deu prejuízo nesse tempo em que o Náutico ficou fora. Perdi dinheiro e estou com muita expectativa para o retorno do time aos Aflitos. Já cheguei a ter 15 funcionários e hoje em dia tenho apenas cinco”, lamenta.

Diferentemente de Americano, Francisco Matias, 72 anos, às vezes passa despercebido entre os torcedores, mas não é menos importante para a história do clube, onde trabalha como faxineiro há mais de 40 anos. Seu Chico é o funcionário com mais tempo de casa. Mesmo tendo visto muitos títulos, a taça que mais comemorou foi a do Estadual deste ano. “Achava que iria morrer sem ver um título do Náutico novamente”, confessa. Desde a mudança do clube, seu Chico não voltou a assistir o time alvirrubro ao vivo, já que nunca visitou a Arena.

Vizinhança
Com o anúncio do retorno do Náutico aos Aflitos, as opiniões dos vizinhos do clube se dividem. O comerciante Ricardo Barbosa, 65 anos, por exemplo, mora em um prédio vizinho aos Aflitos. “Isso aqui em dia de jogos ficava um inferno. Se eu pudesse me mudar, eu me mudava”, reclama. Já o advogado alvirrubro Agenor Nogueira, 26 anos, guarda boas lembranças. “Nos dias de jogos, era comum reunir os amigos nos bares ao redor do estádio.”   
 
Timbu denuncia a Ponte Preta
 
Dentro de campo, o Náutico foi eliminado da Copa do Brasil na última quarta-feira, mesmo vencendo a Ponte Preta por 1 a 0 na Arena de Pernambuco. No jogo de ida, em Campinas, havia perdido por 3 a 0. Porém, o Timbu ainda alimenta a esperança de chegar às oitavas de final da competição e faturar assim uma premiação de R$ 2,4 milhões. Pelo menos, nos tribunais.

Isso porque o departamento jurídico alvirrubro fez uma denúncia no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) pedindo a eliminação do clube campineiro da competição por utilização do lateral direito Igor e do atacante Júnior Santos de forma irregular nos dois confrontos contra o Náutico. O segundo, inclusive, fez o terceiro gol da Macaca no jogo do Moisés Lucarell. Já Igor foi utilizado no jogo da volta, na Arena de Pernambuco.

A alegação do departamento jurídico do Náutico é que os dois jogadores já haviam sido inscritos na competição pelo Ituano e chegaram a ficar no banco de reservas no duelo contra o Uberlândia, pela primeira fase da competição. Porém, não foram acionados na partida. Mesmo assim, no entendimento dos alvirrubros, ambos não poderiam ser utilizados por outro clube na Copa do Brasil. A Ponte Preta alega que consultou o departamento jurídico da CBF, que autorizou o uso dos dois atletas contra o Timbu.

“O nosso departamento jurídico já havia notificado a procuradoria do STJD antes do jogo, agora cabe ao procurador oferecer denúncia ou não.”