SUPERESPORTES

Com as barbas de molho Apesar de enfrentar o Figueirense, vice-lanterna, Santa encara o confronto com toda a seriedade

Rafael Brasileiro
rafael.brasileiro@diariodepernambuco.com.br

Publicação: 24/06/2017 03:00

Seis pontos disputados e apenas um conquistado nas duas últimas rodadas da Série B do Campeonato Brasileiro. Após confrontos contra adversários do mesmo nível técnico nada melhor como enfrentar uma equipe que se encontra na zona de rebaixamento da competição. É essa a situação que o Santa Cruz encontrará neste sábado de São João, às 16h30, na Arena de Pernambuco. Contra o Figueirense, atual vice-lanterna da segunda divisão, o Tricolor tenta reencontrar a vitória diante de um clube que atravessa uma péssima fase e que vem sendo bastante cobrado pelo seu torcedor.

Sem vencer há mais de um mês, o Figueirense vem tropeçando há sete rodadas. Desde a vitória diante do Náutico por 3 a 0, no Orlando Scarpelli, o adversário coral não sabe o que é sair de campo triunfando. Uma situação que pode ser encarada como a melhor possível para receber como visitante, mas quem já vestiu a camisa que estará do outro lado sabe que não é bem assim.

“A gente vê a tabela e quem está na zona do rebaixamento tem oito pontos e não fica distante de nós que estamos com 13. Não importa se o Figueirense está no Z4. Temos que colocar nosso ritmo e não podemos deixar eles gostaram do jogo”, comentou Elicarlos, que estava no Figueirense em 2016.

O pensamento de respeito e atenção ao adversário foi repetido pelo lateral-esquerdo Roberto. Posição ou pontuação é um detalhe na sua opinião. “Quem tá na zona de rebaixamento ou de classificação à Série A não tem nada a ver. Cada jogo é um jogo. Eles vão vir com tudo para ganhar. Temos que estar focados e bem tranquilos para encará-los de frente e tentar vencer”, alertou.
 
ALIADOS
Pela primeira vez nesta Série B, o Santa Cruz jogará como mandante na Arena de Pernambuco e espera ter dois aliados no estádio em São Lourenço da Mata. Primeiro, dentro de campo, a expectativa é que o gramado possa ajudar a equipe a desenvolver seu futebol, algo que não ocorreu contra o Internacional no último compromisso no Arruda. A chuva deixou o piso do campo bastante alagado. Fora das quatro linhas a ansiedade é pela presença da torcida coral nas arquibancadas. Apesar de ser São João, haverá preços acessíveis e até bandas de forró na área externa – atrativos colocados pela diretoria do clube. Na Arena, o Santa Cruz tem média de 16.927 torcedores em 10 jogos.

Adversário
Figueirense terá retornos

O técnico Marcelo Cabo ainda não sabe o que é vencer no comando do Figueirense. Foram duas derrotas nos dois jogos que comandou. Muito pouco para quem foi campeão da Série B em 2016 com o Atlético-GO. No Recife, ele terá os retornos do volante Zé Antônio e do atacante Jorge Henrique que estavam suspensos.