Dia dos Pais promete melhorar vendas em Pernambuco Pesquisa do Instituto Fecomércio indica que 64% dos pernambucanos pretendem comemorar a data, investindo R$ 129,65 em média

Luciana Morosini
luciana.morosini@diariodepernambuco.com.br

Publicação: 01/08/2020 03:00

Apesar de não ser uma data tão relevante para o varejo brasileiro como o Dia das Mães ou o Dia dos Namorados, o Dia dos Pais deste ano promete se beneficiar por conta da flexibilização das atividades econômicas em Pernambuco. Segundo pesquisa do Instituto Fecomércio-PE, 64% dos pernambucanos pretendem comemorar a data, porém o percentual é abaixo dos 76% de 2019. A expectativa, de acordo com a Câmara de Dirigentes Lojistas do Recife (CDL-Recife), é que o fluxo de vendas tenha o mesmo aumento percentual apresentado no mesmo período do ano passado, entre 10% e 20%. Mas o volume de vendas será menor, já que a base de comparação é em cima de uma semana normal e que está baixa durante a pandemia.

O comércio amargou as perdas nas vendas dos dias das Mães e Namorados, já que as medidas restritivas ao comércio ainda estavam válidas. Para o São João, a flexibilização estava em seu início, porém o festejo não aconteceu. “Por isso, o Dia dos Pais com as lojas funcionando é um fator de motivação. As vendas devem ser melhores na semana da data em relação a uma semana normal da pandemia. O aumento deve ser entre 10% e 20%, mas em cima de uma base baixa com as vendas menores na pandemia”, afirma Cid Lobo, presidente da CDL-Recife. O Dia dos Pais não é uma data que remete a um investimento alto nos presentes. “Esta data não é igual ao Dia dos Namorados ou das Mães. O foco do tíquete médio é baixo, mais voltado para lembrancinhas”.  O levantamento mostrou que a maioria pretende comemorar de forma simples, sendo 67% em casa, com almoço ou jantar, e com 28% comprando presente, com tíquete médio de R$ 129,65.