MERCADO » Ações da Petrobras despencam e derrubam bolsa de valores

Publicação: 23/02/2021 03:00

A Bolsa de Valores de São Paulo (B3) caiu 4,87% ontem, puxada pelas ações da Petrobras, que despencaram mais de 20%, por conta da decisão do presidente Jair Bolsonaro de mudar o comando da empresa. Com isso, o dólar fechou em alta de 1,26%, a R$ 5,45. Em valor de mercado, a empresa sofreu uma queda de quase 25% desde a última sexta-feira, após o presidente anunciar a troca no comando.

As perdas foram sentidas durante todo o dia na B3, com o mercado temendo que a mudança na Petrobras abra o caminho para novas interferências políticas que afetem a rentabilidade das estatais brasileiras. Por isso, também atingiram o Banco do Brasil e a Eletrobras e fez o Ibovespa bater nos 111 mil pontos na mínima do dia.

O resultado foi um baque de 4,87% no principal índice da B3. É a maior queda desde 23 de março de 2020, quando o mercado digeria o início da pandemia de Covid-19 e das medidas de isolamento social no Brasil. Com isso, o Ibovespa fechou o dia nos 112.667 pontos.

Na Petrobras, o tombo foi de 21,51% nas ações preferenciais e de 20,48% nas ações ordinárias. As ações já haviam caído mais de 6% na sexta, mas derreteram ontem porque a venda das ações da Petrobras foi recomendada por diversos gestores depois que Bolsonaro confirmou a troca no comando da estatal.

O temor dos investidores é de que haja novas mudanças na política da Petrobras, que façam a empresa reduzir sua lucratividade. Por isso, os papeis da empresa, que eram negociados por cerca de R$ 29 até a semana passada, já estão na casa dos R$ 21. Com isso, a Petrobras já perdeu quase R$ 100 bilhões em valor de mercado desde a última sexta-feira.

Segundo a consultoria Economatica, a Petrobras estava avaliada em R$ 382,9 bilhões na última quinta-feira, quando Bolsonaro avisou que haveria mudanças na estatal. Porém, perdeu cerca de R$ 28 bilhões na sexta-feira, dia em que as ações do papel caíram 6% com o mercado na expectativa pelas mudanças. E desvalorizou-se em mais R$ 70 bilhões nesta segunda-feira. Por isso, já está sendo avaliada perto dos R$ 282 bilhões, quase 25% a menos do que valia na semana passada.

A segunda maior queda do pregão foi a do Banco do Brasil (BB). Os papéis do banco caíram 11,65%. (Correio Braziliense)