Maioria quer fazer compras na Black Friday Levantamento da Fecomércio-PE aponta que 58,2% dos pernambucanos estão dispostos a adquirir algo na promoção. Em média, pretendem gastar R$ 1.377

Danielle Santana
danielle.gomes@diariodepernambuco.com.br

Publicação: 25/11/2021 03:00

Marcada por descontos e promoções especiais, a esperada Black Friday será realizada amanhã. A ação, que teve origem nos Estados Unidos e se espalhou pelo comércio mundial, costuma alavancar as vendas durante o mês de novembro. Em Pernambuco, um levantamento realizado pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Pernambuco (Fecomércio-PE) apontou que 58,2% dos consumidores estão dispostos a realizar alguma compra durante a promoção. Em média, eles pretendem gastar cerca de R$ 1.377.

Com ações que se estendem durante o mês inteiro, o período de promoções passou a ser um marco importante às empresas. Para o publicitário e professor do Cedepe Business School, Giovanni di Carli, a Black Friday deve ganhar ainda mais força neste ano. “Independentemente do isolamento social, ela está criando uma cultura de compra planejada. Com a pandemia, cresceu o número de pessoas que passaram a comprar online. Com a volta dos serviços físicos, a abrangência da Black deve ter aumento considerável”, destacou.

De acordo com a Sondagem de Opinião do Black Friday 2021, da Fecomércio-PE, as compras pela internet serão opção para um conjunto de 59,5% dos consumidores, enquanto o comércio tradicional deve atrair 44,9% dos pernambucanos. “A tendência da busca pelo comércio eletrônico explica, em parte, o alto percentual de consumidores que pretendem utilizar o cartão de crédito como forma de pagamento neste ano, uma vez que o cartão de crédito é o meio de pagamento mais comum nas compras on-line”, explicou o assessor econômico da Fecomércio-PE, Ademilson Saraiva.

Já a lista de itens a serem procurados é bastante diversificada, com destaque para os produtos de uso pessoal como as roupas e acessórios (38,1%), calçados (17,6%), smartphones e tablets (16,6%) e perfumes e cosméticos (13,7%), e os de uso familiar, como os eletrodomésticos (23,5%), equipamentos de áudio e vídeo (10,9%) e móveis (10,0%).

No comércio tradicional, 72,9% dos estabelecimentos acreditam que as vendas vão aumentar neste ano. Nos shopping centers, a expectativa de crescimento é compartilhada por 86,8%. Ao todo, 17,5% das empresas do varejo pretendem contratar colaboradores temporários.